Corpo do dançarino Douglas Silva é enterrado no Rio sob gritos pedindo justiça

Vladimir Platonow
Repórter da Agência Brasil

O corpo do dançarino Douglas Rafael Silva foi sepultado na tarde de hoje (24) em clima de grande comoção, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul da cidade. Sob muitos aplausos e aos gritos de “justiça” e “polícia assassina”, o caixão foi coclocado em um jazigo simples.

Antes de fecharem a sepultura, os presentes seguraram o caixão no alto e cantaram músicas funk enaltecendo o amigo e protestando contra a violência policial. Douglas morreu na madrugada da última terça-feira (22), mas seu corpo só foi localizado no início da tarde. A suspeita de que tenha sido assassinado pela Polícia Militar gerou uma onda de revolta por parte da comunidade do Morro Pavão-Pav ozinho, em Copacabana.

O laudo preliminar do Instituto Médico-Legal apontou que o jovem foi morto por um objeto que atravessou o seu pulmão, possivelmente uma bala. Depois do enterro, os moradores voltaram em passeata para o Morro Pavão-Pavãozinho pelas ruas de Copacabana, carregando cartazes protestando contra a violência policial e pedindo justiça para o caso. A marcha foi acompanhada por policiais militares.

Notícias Relacionadas