Dilma rebate Gabrielli e diz que atas de conselho provam sua versão

gabrielliedilmaApesar de publicamente a presidente Dilma Rousseff ter evitado o confronto com o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli sobre a polêmica compra da refinaria de Pasadena, no Texas, fontes do Planalto rebateram nesta segunda-feira a fala do ex-presidente da Petrobras. Eles lembraram que a responsabilidade de Dilma quando era presidente do Conselho de Administração da empresa está descrita nas atas das reuniões.

Elas mostrariam que a compra dos primeiros 50% foi feita sem o conhecimento das cláusulas Marlim e put option e que o mesmo conselho — do qual Dilma fazia parte — nunca autorizou a compra dos outros 50%. Essas atas, destacam interlocutores da presidente, foram inclusive assinadas por todos os conselheiros, incluindo a própria Dilma e Gabrielli.

No domingo, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Gabrielli assumiu sua responsabilidade pelo relatório que viabilizou a polêmica compra da refinaria de Pasadena, em 2006, quando comandava a estatal, e afirmou que a presidente, na época presidente do Conselho da empresa, não deveria “fugir da responsabilidade dela”.

A cláusula “put option“ obrigou a Petrobras a comprar a outra metade da refinaria de Pasadena quando entrou em disputa judicial, e a Marlim compensava a então sócia Astra por possíveis prejuízos.

“Eu sou responsável. Eu era o presidente da empresa. Não posso fugir da minha responsabilidade, do mesmo jeito que a presidente Dilma não pode fugir da responsabilidade dela, que era presidente do conselho. Nós somos responsáveis pelas nossas decisões. Mas é legítimo que ela tenha dúvidas”, afirmou Gabrielli ao Estado de S. Paulo. (Paulo Celso Pereira, O Globo)

Notícias Relacionadas

2 Comentários

  1. NOVORUMO

    Atualmente são divulgadas muitas informações sobre a aquisição da refinaria de Pasadena no Texas pela Petrobras, mas nada esclarece em definitivo o que realmente aconteceu.
    Membros de Conselho de Administração são especialistas de importancia impar para o aconselhamento das decisões pela Presidencia de qualquer empresa.
    Ja foram divulgadas noticias de que todos os documentos relativos ao contrato ficaram a disposição de todos os membros do conselho com bastante antecedencia com acesso irrestrito a todos.
    Entendo ser inadmissível a Presidente do conselho alegar desconhecimento de qualquer clausula e emitir o parecer apenas baseado no resumo ou em apenas uma parte de qualquer contrato.

  2. Valeria

    Esses petistas vieram ao poder com um discurso ilusório somente com foco no poder…Nunca tiveram qualquer planejamento de governar o país.

    O único objetivo dessa turma é somente o que se ver a cada dia nos noticiários.

    Mas o povo que ainda vota nessa gente é que são culpados, pois são iguais a eles.

    O Brasil não merece essa corja!

Comentários estão suspensos