Prisco é transferido para cela individual após apelo da defesa

Marco Prisco foi preso sexta-feira na Costa do SauípeA direção do presídio da Papuda, em Brasília, resolveu atender ao apelo do advogado de Marco Prisco e transferiu na tarde deste domingo (20) o líder da greve da Polícia Militar da Bahia para uma cela individual. Prisco estava anteriormente em uma cela com 16 detentos considerados de alta periculosidade.

Em nota divulgada hoje, a Associação de Soldados, Bombeiros e seus Familiares (Aspra) informou que Marco Prisco estava desesperado com as condições do cárcere.

A Aspra levou o assunto a quatro políticos da Bahia sobre as condições da sua prisão: a ex-ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon (PSB); o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM); o presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Paulo Câmara (PSDB); e o deputado estadual Tadeu Fernandes (PSB), que também é policial.

O vice-presidente da Aspra, Fábio Brito, informou que os políticos entraram em contato com Brasília e ”conseguiram tirá-lo daquele risco iminente de morte. Foi uma irresponsabilidade colocar Prisco, líder da PM, no mesmo espaço que presos comuns”.

A defesa do vereador pelo PSDB e líder da greve da PM aguarda a decisão do pedido de habeas corpus, que é analisado pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF). A expectativa é que o processo seja julgado até esta segunda, 21, quando acaba o plantão do feriado.

Notícias Relacionadas