Marcelo Nilo detona ”escolha errada” de Wagner ao optar por Leão

Marcelo Nilo, presidente da ALBA.
Marcelo Nilo, presidente da ALBA.
Matéria reproduzida de A Tarde

Tendo que engolir um sapo do tamanho do deputado João Leão (PP), que o derrotou na disputa pela vaga de vice do candidato a governador Rui Costa, do PT, o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, se diz injustiçado pela decisão e tenta reatar as relações políticas com o governador Jaques Wagner. Nilo pretende disputar a reeleição de deputado estadual e não afasta a possibilidade de tentar novamente renovar seu mandato de presidente do Legislativo.

Se o senhor fosse o governador Wagner e tivesse dois aliados, um mais fiel, como Marcelo Nilo, e outro como João Leão, não seria menos traumático para a aliança contrariar o mais fiel, escolhendo Leão como vice?
Acho que um dos motivos que ele escolheu Leão foi justamente pelo fato de me considerar um amigo e ter a certeza absoluta de que eu não mudaria de lado. Suponho que a decisão foi ele achar que o amigo nessa hora tem que se sacrificar.

E ele estava certo?
Creio que ele estava errado. O escolhido teria que ser aquele que reunisse as melhores condições políticas. Modéstia à parte, acho que eu reunia. Tive apoio de todos os aliados, sem exceção. Aí você tira o PSD de Otto Alencar, que era candidato e não iria se meter (na escolha) e o PT. Tive o apoio de 22 federais em 26 possíveis, de todos os 63 estaduais e reuni todas as condições políticas para exercer o cargo de vice, mas…

Essas forças todas que o apoiaram reagiram de que forma com a escolha do governador? Vão trabalhar sem suar a camisa pela eleição da chapa Rui Costa/João Leão?
Não creio que as forças políticas vão reagir a esse ponto. Eles preferiam Marcelo Nilo, mas respeitaram a decisão do governador.

E na opinião do senhor, foi uma decisão equivocada?
Sim. Porque se eu fosse o vice seria escolhida a chapa mais forte. Eu aceitava qualquer critério político: pesquisa, conselho político, conhecimento, quem tivesse mais relações. O critério que ele usou foi matemático.

Notícias Relacionadas