Caminhada em SP chama a atenção para riscos do sedentarismo

Elaine Patrícia Cruz
Repórter da Agência Brasil

Milhares de pessoas participaram na manhã de hoje (6), em São Paulo, do Agita Mundo, evento que pretende estimular as pessoas a praticarem exercícios físicos por pelo menos 30 minutos diariamente, conforme orienta a Organização Mundial da Saúde (OMS). A caminhada teve início no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na região da Avenida Paulista, com destino à Assembleia Legislativa, próxima ao Parque Ibirapuera, um trajeto de aproximadamente 3 quilômetros (km).

Vestindo camisas amarelas de gola verde e segurando balões nas cores branca e azul, os participantes lembraram as cores da Bandeira Nacional. O objetivo, segundo os organizadores, é chamar a atenção para a Copa do Mundo, que será realizada este ano no Brasil. A caminhada atraiu crianças, jovens, adultos e idosos.

“O sedentarismo é um problema que mata 5,3 milhões de pessoas no mundo. Mata mais que a obesidade, o colesterol alto, o diabetes e o tabagismo. Só não mata mais que a hipertensão. Para esse inimigo que invadiu nossas casas temos um antídoto: cada um deve acumular pelo menos 30 minutos de atividade física por dia, não necessariamente algum esporte. Basta se mover”, disse Victor Matsudo, coordenador geral do Agita São Paulo e coordenador da celebração do Dia Mundial da Atividade Física em todo o mundo.

Segundo ele, qualquer pessoa pode fazer atividade física. Os 30 minutos diários recomendados pela OMS podem, inclusive, ser divididos em dois períodos de 15 minutos ou em três de dez minutos. “A atividade física é o primeiro sinal de vida. Quando o bebê chuta a barriga da mãe, dizemos que aí vem vida. Qualquer risco que a atividade física possa ter é menor que o risco de ser sedentário”, falou Matsudo. Para uma atividade física moderada, disse, não é necessário ir ao médico. Mas se for uma atividade física vigorosa, como uma corrida, o acompanhamento médico é fundamental.

Nesta manhã, as amigas Adair Mendes de Souza, de 73 anos, e Benedita Onório, de 75 anos, estavam bastante animadas para a caminhada. Ambas disseram que praticam atividades físicas regularmente. “Faço todos os dias. Isso me ajuda e muito: para a coluna, o controle do diabetes e da pressão. Para mim foi ótimo. Vou ao médico e ele me fala: a senhora está muito bem dos ossos, viu?”, disse Benedita. Já Adair faz atividade física pelo menos duas vezes por semana.”Tenho problema da coluna e pressão alta, então a atividade física ajuda muito, ameniza [os problemas]”, contou.

Antonio Freitas, de 49 anos, escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo, faz exercícios físicos diariamente. “Para quem teve colesterol na taxa de 620 [mg/dL] e agora, na faixa dos 180, posso dizer que isso mudou meu coração, principalmente.”

Notícias Relacionadas