Pelo menos 49 pessoas foram mortas nas últimas 24 horas no Egito

Agência Lusa

Cairo – Pelo menos 49 pessoas morreram nas últimas 24 horas no Egito, onde partidários do poder e opositores foram às ruas no sábado (25) para assinalar o terceiro aniversário da revolta de 2011, que derrubou o então presidente do país, Hosni Mubarak , após cerca de 30 anos no poder. Além disso, 247 pessoas ficaram feridas, indicou o Ministério da Saúde num comunicado.

O Ministério do Interior, por seu turno, informou que 1.079 pessoas foram detidas à margem das manifestações. As autoridades têm reprimido implacavelmente qualquer manifestação da oposição nos últimos sete meses, depois que o Exército destituiu e deteve o presidente islamita Mohamed Mursi, que tinha sido eleito em 2012.

Desde 3 de julho do ano passado, mais de mil manifestantes pró-Mursi foram mortos por soldados e policiais, ou por partidários dos novos governantes.

Ontem, no Cairo, centenas de manifestantes que se opõem ao governo atual tavam foram violentamente dispersados pela polícia, que usou armas de fogo e gás lacrimogêneo. Ao mesmo tempo, milhares de partidários do regime concentravam-se na Praça Tahrir, epicentro da revolta de 2011.

Durante a noite, os confrontos entre as forças de segurança e os partidários e opositores das novas autoridades prosseguiram em várias províncias do país.

Notícias Relacionadas