Mercado do Peixe, no Rio Vermelho, é um perigo para os frequentadores.

A frequência no Mercado de Peixe tornou-se perigosa (Foto: Vicente de Paula)
A frequência no Mercado de Peixe tornou-se perigosa
VICENTE DE PAULA

Rigorosamente verdadeiro. Seja você turista ou nativo, em Salvador, evite o Mercado de Peixe do Rio Vermelho, no Largo da Mariquita, espaço de lazer e gastronomia criado para atender o público durante 24 horas, mas, atualmente, transformado num antro de traficantes, usuários de drogas, assaltantes e proprietários de barracas desonestos, mancomunados para roubar os frequentadores.

A frequência no Mercado de Peixe tornou-se perigosa nos últimos dois anos por conta da total ausência dos poderes públicos, especialmente a Prefeitura, que não fiscaliza absolutamente nada. Os sanitários estão imundos dia e noite, sem qualquer segurança e frequentadores são assaltados nos corredores, sem contar as áreas externas com lixo espalhado junto as mesas.

A 7ª Delegacia, atrás do Mercado, passa as noites fechadas, sem agentes nem delegados de plantão, ao contrário do que ocorria quando lá passaram os delegados José Magalhães e Itamir Casal. Em caso de furto ou assalto, não há para quem apelar.

E como se tudo isso não bastasse, existe ainda o conluio de proprietários de barracas com marginais, adulterando criminosamente o valor das despesas pagas com cartão de crédito. (Blog de Vicente de Paula)

Notícias Relacionadas