PSB recorrerá a pesquisas para convencer Marina a apoiar tucanos em SP

Marina Silva
Marina Silva
No dia 4 de fevereiro, o governador de Pernambuco e presidenciável do PSB, Eduardo Campos, e a ex-senadora Marina Silva estarão juntos em um ato em Brasília para a divulgação do esboço do programa conjunto de governo da chapa PSB-Rede. Estará sendo cumprida a primeira parte das exigências de Marina para a formalização de sua participação na aliança como vice, o que não tem ainda data para acontecer.

A segunda exigência, que é a definição de candidaturas próprias no Rio, em São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, só será cumprida, ou não, depois de 25 de março, quando a Executiva do PSB vai analisar os acertos regionais, em especial as alianças com o PSDB. Até lá, dirigentes do PSB, munidos de pesquisas, vão tentar convencer Marina sobre as vantagens da aliança com os tucanos, em São Paulo principalmente.

Em 4 de abril, com ou sem Marina na chapa presidencial, o PSB vai fazer outro grande ato político para marcar a saída de Eduardo Campos do governo de Pernambuco e a inauguração de um comitê central de campanha em Brasília.

Embora a Rede defenda candidaturas próprias nesses estados, o PSB não abre mão da aliança com o PSDB em Minas e Pernambuco, e vai recorrer a pesquisas para tentar convencer Marina e seus companheiros da Rede de que será um risco não renovar a aliança com o governador Geraldo Alckmin em São Paulo.(Maria Lima, O Globo)

Notícias Relacionadas