Governos brincam de empurra-empurra na poluição do Lago Paranoá

É um jogo de empurra-empurra. O governo do Distrito Federal frisa que o óleo que polui o Lago Paranoá, em Brasília, saiu da caldeira do restaurante do Palácio do Planalto, que rebate a informação ‘precipitada’. Mas nota divulgada pelo GDF às 17h volta a afirmar a culpa do Planalto, com base no rastreamento por técnicos da Novacap.

Na nota oficial, o governo do Distrito Federal diz que foi possível chegar com precisão a um ponto de vistoria localizado no Anexo IV com o auxílio de um robô equipado com câmera de vídeo e monitorado remotamente. “No momento, aguarda-se o resultado da análise química para confirmar as evidências de que o vazamento partiu da caldeira”, diz a nota.

Mais cedo, a Secretaria-Geral da Presidência da República alegou ainda ser “cedo” para assumir a culpa pelo derramamento de óleo no Lago. “A caldeira que pode ser a origem do vazamento foi preventivamente desativada, e a mancha de óleo imediatamente contida na própria sexta-feira, minimizando seu impacto, não tendo sido constatada nenhuma morte de peixes em função do incidente”, amenizou a Presidência. (Diário do Poder)

Notícias Relacionadas