Empresária: ferryboat “Pinheiro” é uma bomba-relógio

Lenise Ferreira aponta omissão e permissividade do governo Wagner em relação ao ferryboat.
Lenise Ferreira aponta omissão e permissividade do governo Wagner em relação ao ferryboat.
Salvador – Mais um dia de cão para os usuários do sistema ferryboat, nesta terça-feira (21). A fila de veículos para embarque no Terminal de Bom Despacho chegou a quase 4 quilômetros, com tempo de espera para embarque de mais de 6 horas. A empresária Lenise Ferreira, presidente da Associação Comercial de Vera Cruz (Ilha de Itaparica), testemunhou a enorme fila e revelou que a Internacional Marítima, operadora do sistema, manteve os veículos do lado de fora do pátio de embarque, em Bom Despacho,
temendo protestos e até quebra-quebra, já que não tem embarcações suficientes para atender à demanda. Com isso, veículos passaram a ocupar o acostamento e o leito da pista principal da BA-001, colocando em risco a vida de motoristas e pedestres.

Em contato com o JORNAL DA MÍDIA, Lenise Ferreira disse que fez a travessia de Salvador para Bom Despacho, hoje, como pedestre. Embarcou no ferry Anna Nery que levou uma hora e 10 minutos para fazer a travessia. Só três navios estavam em tráfego – o ferryboat Pinheiro, que ficou à deriva ontem na Baía de Todos os Santos, assunto divulgado nacionalmente pelas redes de TVs, segue fora de tráfego e aguardando inspeção da Capitania dos Portos, que vai investigar o caso.

“Dia 3 de janeiro recebi torpedo de um tripulante me recomendando para evitar viajar no Pinheiro pois, segundo ele, é uma bomba-relógio. Falei com Carlos Henrique da (diretor da Internacional Marítima) e obviamente, nada foi feito. A matéria do JORNAL DA MÍDIA mostrando o acidente com o navio, ontem é a prova maior do descaso”, observou.

Em poster que publicou no JM, a presidente da Associação Comercial de Vera Cruz não poupou críticas ao Governo do Estado pela situação caótica em que se encontra o Sistema Ferryboat.

“Está na hora do governador Wagner deixar de lado a politicagem e o amadorismo e colocar profissionais competentes, técnicos à frente da Seinfra e da Agerba. Não há motivo para continuar impondo tanto sofrimento para os usuários deste importante meio de transporte”, frisou.

A empresária também comentou sobre a falta de interesse de deputados da Assembleia Legislativa em investigar a situação do ferry, que está em contrato emergencial com a Internacional Marítima, que a Seinfra e a Agerba foram buscar no Maranhão como ”solução” para o sistema.

“Os deputados são permissivos, omissos e tão responsáveis quanto qualquer diretorzinho destes cabides de emprego existentes (na Seinfra e Agerba) . A omissão é criminosa”, acrescentou.

Notícias Relacionadas

3 Comentários

  1. Cosme

    Não é só ontem que tem trastorno em Bom Despacho, todos os fim de semana é um inferno, os fereys não tem manutenção preventiva aliais não tem funcionários suficiente, quando a internacional assumi-o o sistema demetio a metade dos funcionários que hoje trabalham dobrados elem de não pagarem as horas extra que fazem.

    Tanto quem tem funcionário de ferias antes do tempo, pois ficou 90 dias em Aracaju e a empresa não pagou as extra do funcionário então fez acordo em pagar com ferias.

  2. Carlos Carvalho

    O VICE OTTO FALOU QUE O QUE ACONTECEU COM O FERRY PINHEIRO FOI SABOTAGEM (JORNAL ATARDE DE 22 DE JANEIRO DE 2014). QUE PENA, INCOMPETENCIA AGORA TEM O NOME DE SABOTAGEM. CONHEÇO OTTO DE LONGAS DATAS E SEI O QUANTO DEVE ESTAR SOFRENDO PARA DEFENDER ESSAS COISAS RELACIONADAS A EMPRESA QUE ADMINISTRA O ATUAL SISTEMA FERRYBOAT. BOM POLITICO, EXCELENTE EXECUTIVO E GRANDE MÉDICO ORTOPEDISTA, NÃO DEVERIA ESTAR METIDO NESSA SISTEMA, PARA TER SEU NOME AVACALHADO A TODO INSTANTE, SEM A MENOR NECESSIDADE.

  3. jdsantos

    Daqui até as eleições vai aparecer e acontecer muitos causos e eles pode custar alguns R$ contra o Governo. Quem viver verá. Ops! Falei muito?

Comentários estão suspensos