Wagner anuncia construção de sete novos presídios na Bahia

Desde 2007, foram criadas 3.070 vagas em Salvador, Feira de Santana, Eunápolis, Itabuna e mais cinco minipresídios, segundo o gverno.
Desde 2007, foram criadas 3.070 vagas em Salvador, Feira de Santana, Eunápolis, Itabuna e mais cinco minipresídios, segundo o gverno.
Salvador – O sistema prisional baiano terá mais 3.822 vagas. O contrato foi assinado pelo governador Jaques Wagner e o secretário de Administração Penitenciária e Ressocialização, Nestor Duarte, nesta sexta-feira (17), na Governadoria, em Salvador. Estão previstas a construção de sete unidades prisionais e a ampliação de outras quatro na capital baiana e no interior.

As novas vagas serão disponibilizadas em Salvador, Itabuna, Vitória da Conquista, Barreiras, Irecê, Brumado, Paulo Afonso e Juazeiro. Atualmente, a população prisional é de 12.300 pessoas para nove mil vagas. Com as novas 3.822 vagas, o déficit de espaço nos presídios será superado, restando ainda 522 vagas que serão preenchidas com parte dos presos em delegacias.

“Com esta assinatura [do contrato], vamos dobrar o número de vagas que tínhamos em 2007 [aproximadamente 6.700]. Fizemos investimento de R$ 150 milhões e estamos abrindo mais vagas”, disse o governador.

O secretário destacou a importância da ressocialização, por meio de ações educativas e qualificação profissional, ao possibilitar ao detento poder retornar à sociedade com uma capacitação. “Saímos de 800 internos trabalhando ou estudando para cinco mil em dois anos e meio, [o que é] um número significativo. Todas as unidades, por determinação do governador, terão salas de aula e oficinas para que os presos possam trabalhar”.

Desde 2007, foram criadas 3.070 vagas em Salvador, Feira de Santana (contando com a segunda etapa a ser entregue), Eunápolis, Itabuna e mais cinco minipresídios. Com a assinatura desse contrato, o número de novas vagas chegará a 6.892.

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. Polvilhado Cheiroso

    Esse Brasil é mesmo uma classe política sem precedentes, um canhão virado contra o povo. Mais presídio. E a Holanda demitindo agente penitenciário, fechando presídios por falta de presos. Wagner que me perdoe, faz o jogo dos norte americanos e ferra conosco. E o Uruguai enfrentando essa corja de malucos que só sabem prender. E, o pior, na cadeia brasileira só dá negros, afrodescendentes. Todos os nossos encarcerados são tidos criminosos de merda, ladrões de galinha… Jogados e esquecidos dentro dos presídios. Que droga!, que droga é essa seu Wagner. Se coro, se surra ensinasse, burro seria um sábio.

Comentários estão suspensos