Jovem de 19 anos não se atirou do “Ivete Sangalo”, mas de um píer de Bom Despacho.

Antes os garotas sobiam somente no primeiro convés do "Ivete Sangalo" para se atirar ao mar. Agoras sobem na membrana da cobertura do convés superior e se atiram para o mergulho (Foto: Jornal da Mídia/Arquivo)
Antes os garotas sobiam somente no primeiro convés do “Ivete Sangalo” para se atirar ao mar. Agoras sobem na membrana da cobertura do convés superior e se atiram para o mergulho (Foto: Jornal da Mídia/Arquivo)
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Salvador – Um jovem de 19 anos se atirou ontem, às 16h, de um pier de atracação do sistema ferryboat, no Terminal de Bom Despacho, na Ilha de Itaparica, e morreu. Identificado pelo Juizado de Menores como David, o jovem integrava um grupo de garotos, a maioria menores, que há anos tem acesso ao terminal e aos navios, quando atracados, sobem para a parte superior e se atiram para o mergulho de exibição. A cena é testumanhada diariamente pelos usuários. Alguns chegam a jogar moedas para que os meninos busqem no fundo. Inicialmente, as informações indicavam que o rapaz tinha se jogado ao mar a partir do ferry”Ivete Sangalo”.

O diretor-executivo da Agerba, Eduardo Pessoa, em contato com o JORNAL DA MÍDIA, negou a informação e garantiu que o rapaz não se jogou do “Ivete Sangalo”.

Disse Pessoa:

“Procurem se informar melhor”.

Repetimos, essas cenas de garotos se exibirem em cima de embarcações no Terminal de Bom Despacho para se atirarem ao mar são rotineiras e já foram denunciadas inúmeras vezes por veículos de comunicação.

Às 12h05m, o JM voltou a fazer contato com o posto de Juizado de Menores, que confirmou o fato. Porém, outras fontes do Terminal de Bom Despacho disseram que na verdade o jovem se atirou próximo da gaveta de atracação do terminal utilizada pelos ferries “Ivete Sangalo” e “Anna Nery”, e não propriamente da embarcação.

Se não foi no “Ivete Sangalo”, foi dentro do Terminal Marítimo de Bom Despacho. Portanto, dentro das instalações do Estado operadas pela Internacional Marítima com fiscalização da Agerba.

Um preposto do Juizado de Menores, cujo posto funciona no Terminal Rodoviário, revelou nesta sexta-feira (17), ao JORNAL DA MÍDIA que ultimamente as cenas praticadas pelos garotos vem aumentando diariamente, já que a concessionária do serviço, a Internacional Marítima, reduziu o quadro de vigilantes no Terminal de Bom Despacho.

“O terminal e os navios são equipamentos de responsabilidade da empresa concessionária. O número de vigilantes foi reduzido e os próprios funcionários da Agerba têm conhecimento do fato e dizem que já levaram o problema tanto à Internacional como para a direção da própria Agerba”, disse.

Briga e Desordem – Usuários do sistema ferryboat têm reclamado bastante da falta de segurança no Terminal de Bom Despacho, principalmente para quem está à noite na fila de veículos, fora ou dentro do terminal. ”Os vendedores ambulantes estão causando uma verdadeira desordem, por falta de segurança. Não existe policiamento nenhum, principalmente à noite”, revelou a proprietária de uma lanchonete no terminal, pedindo para não ser identificada.

Ela contou que por falta de seguranças trabalhando em Bom Despacho, ontem à noite, por volta das 22h, ocorreu uma briga generalizada destro da Estação de passageiros do ferryboat, envolvendo grupos rivais de desordeiros dos povoados de Manguinhos e Gameleira.

“Foram pessoas visivelmente alcoolizadas, que retornaram da Lavagem do Bonfim, e começaram a brigar dentro da estação de passageiros, colocando em risco a vida de usuários que não tinham nada a ver com o problema deles. Não existia policiamento e eles promoveram a maior confusão. E não é a primeira vez que ocorre uma briga do gênero na estação. A Internacional quer economizar tudo e até reduziu o efetivo de vigilantes e seguranças”, acrescentou.

Leia Também:

Notícias Relacionadas