Gays são considerados doentes pelo presidente de Uganda

O presidente da Uganda, Yoweri Museveni, deu mais uma mostra de como a intolerância ainda reina em várias partes do continente africano. Apesar de não ter tido coragem, mandou um porta-voz da Presidência dizer que “os homossexuais são doentes”. Em uma tentativa estapafúrdia de demonstrar sensibilidade, o porta-voz adicionou que apesar de “doentes”, os homossexuais “merecem ser presos nem assassinados”.

Segundo o porta-voz, Museveni teria externado que apesar de não aprovar a homossexualidade, pensa que “essas pessoas tem o direito de existir”. O presidente rechaçou a aprovação de um controverso projeto de Lei que modificaria a legislação de Uganda prevendo até mesmo a prisão pelo crime de homossexualidade.

Claramente tendo que agradar gregos e troianos, Museveni criticou o presidente do Legislativo por aprovar a matéria, amplamente condenada por todo o planeta, mas meteu os pés pelas mãos. “São doentes, não se pode assassinar pessoas doentes”, acrescentou. (Diário do Poder)

Notícias Relacionadas