IPTU de Salvador tem aumento que vai de 14,7% a 240%

Com uma trava de 35%, a correção do IPTU para os imóveis residenciais ficou em torno de 14,7%, considerando o desconto recebido pelo contribuinte após o recadastramento. A informação e as mudanças na cobrança foram divulgadas ontem pelo prefeito ACM Neto e o secretário municipal da Fazenda, Mauro Ricardo, no Palácio Thomé de Souza. Este ano o carnê de pagamento será extinto e a partir do próximo dia 20 (segunda-feira), a prefeitura de Salvador começará a enviar os boletos de IPTU.

Segundo informações do jornal Tribuna, em matéria assinada por Daniela Pereira, enquanto os imóveis residenciais têm aumento de até 14,7%, independente da área do metro quadrado, os empresariais podem variar de 27,5% até 240%. Os terrenos de até 300 m² terão um reajuste de 27,5%, já as propriedades que ultrapassam mil m² pagarão um valor de 154,9% a mais. No total, o número de imóveis cadastrados passou de 652 mil para 917 mil. Cerca de 340 mil propriedades de valor venal de até R$ 80 mil estão isentos dos tributos. Houve um crescimento de 53% na isenção em relação ao ano passado, o que representa uma média de 75 mil imóveis isentos a mais.

De acordo com o ACM Neto, a partir dos critérios usados no processo de cadastramento/recadastramento pode-se afirmar que este ano o IPTU fará mais justiça fiscal e social. “Quem pode pagar mais, paga mais. Quem pode pagar menos, paga menos e quem não pode pagar, não paga. Ampliamos a base dos cadastrados a partir de parceria com Embasa e Coelba e podemos afirmar com certeza de que só receberá o boleto o contribuinte que, realmente, tem que pagar o IPTU”, garantiu o gestor municipal.

Os vencimentos da primeira parcela serão entre 1º e 28 de fevereiro, sendo que os contribuintes que escolherem a data serão respeitados. “Pedimos às pessoas que se organizem para efetuar o pagamento à vista, pois nos permite organizar os projetos e as ações da cidade”, disse Mauro Ricardo, ressaltando que o pagamento também pode ser feito, através de débito automático. Para 2014, a Prefeitura estima uma arrecadação de R$ 500 milhões, maior que ano passado. “O cidadão precisa ter consciência e o desenvolvimento da cidade depende de cada um. Se a gente quer uma cidade mais organizada, com saúde pública, mobilidade de qualidade é necessário pagar o IPTU, agora, totalmente ajustado com a realidade sócio-econômico de cada um ”, disse ACM Neto.

Notícias Relacionadas