MPF vai investigar apropriação indébita na Caixa

CLÁUDIO HUMBERTO

O Ministério Público Federal decidiu apurar a apropriação indébita de R$ 719 milhões de pequenos poupadores pela Caixa Econômica Federal, para engordar artificialmente seu lucro. A instituição admite que “errou” ao aceitar 527 mil correntistas com dados supostamente “irregulares”, como se fosse possível no Brasil abrir conta em banco com documentos falsos. A Caixa prejudicou aqueles que “esquecem” suas economias depositadas na poupança, esperando vê-las crescer.

Ação criminosa – “É um clássico exemplo de apropriação indébita. Não existe usucapião de dinheiro”, explicou o advogado Luiz Fernando Pereira.

Sem entender – A Caixa não consegue explicar como abriu 800 mil contas sem CPF existente, como agora alega para justificar a apropriação do dinheiro.

Diz que morri – Suspeito de aprovar as manobras para fabricar um lucro para a Caixa maior que o real, o falante Guido Mantega (Fazenda) se finge de morto. (Coluna de Cláudio Humberto)

Leia também:

Notícias Relacionadas