Schumacher deixa R$ 3,2 bilhões para a família, afirma jornal

Michael Schumacher esquiando
Michael Schumacher
Heptacampeão mundial da Fórmula 1, o alemão Michael Schumacher segue internado no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble, na França. O quadro do ex-piloto, que sofreu uma queda esquiando em Méribel no final de dezembro, é crítico, porém estável, e ele ainda passará por mais exames. E, de acordo com o diário argentino “Olé”, Schumi já teria um testamento pronto, escrito em 2010, um ano depois de um acidente de moto na Espanha.

Viciado em velocidade, o ex-piloto sofreu três grandes quedas correndo sobre duas rodas. A de maior gravidade foi justamente a de 2009, quando teve uma lesão no ombro e no pescoço. Depois dela, o alemão quis se precaver e deixou um documento em que reparte sua fortuna de U$S 1 bilhão (R$ 3,20 bilhões) em três partes iguais: uma para a mulher Corinna, outra para a filha Gina-Maria, de 16, e, por fim, uma para o filho Mick, de 14, com quem esquiava quando se acidentou em Méribel.

Ainda que os médicos tenham conseguido controlar o inchaço no cérebro de Schumacher, o risco de complicações, como hemorragia e infecções, ainda é grande. Não se sabe quando haverá novas informações sobre o quadro de Schumi, podendo levar dias, semanas ou até meses.

No dia 3 de janeiro, o alemão completou 45 anos. Ele é o piloto mais vitorioso da história da Fórmula 1 em números totais, com 91 vitórias, 155 pódios, 68 poles e 77 voltas mais rápidas. Em 19 temporadas, ele conquistou dois títulos pela Benetton (1994 e 1995) e cinco pela Ferrari (de 2000 a 2004). Após a primeira aposentadoria ao fim de 2006, o piloto retornou à F-1 em 2010 pela Mercedes, mas em três temporadas só subiu ao pódio uma vez, com um terceiro lugar, sendo amplamente batido pelo seu companheiro Nico Rosberg no Mundial de Pilotos. (Globoesporte.com)

Notícias Relacionadas