João Paulo Cunha deve se entregar hoje à Polícia Federal

Deputado vai começar a cumprir pena de seis anos e quatro meses, em regime semiaberto, por corrupção passiva e peculato
Deputado vai começar a cumprir pena de seis anos e quatro meses, em regime semiaberto, por corrupção passiva e peculato
Brasília – O deputado federal e ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) chegou em Brasília e deve se apresentar à Polícia Federal nesta terça-feira (7) por volta do meio-dia, segundo a assessoria do deputado. Ontem, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, determinou a prisão de João Paulo Cunha. Ele cumprirá pena de seis anos e quatro meses, em regime semiaberto, por corrupção passiva e peculato.

O advogado Alberto Toron, que defende Cunha, disse que ainda não há mandado de prisão e, por isso, o deputado se entregará amanhã, provavelmente na sede da Polícia Federal, em Brasília. Ainda não há previsão de horário.

A Câmara dos Deputados, até o início da noite de ontem, ainda não havia recebido a notificação do Supremo Tribunal Federal sobre o trânsito em julgado do processo de João Paulo Cunha. A Mesa Diretora da Casa só deverá decidir sobre a abertura de processo de cassação em fevereiro, quando os trabalhos legislativos forem retomados. Os deputados estão em recesso parlamentar até o dia 2.

João Paulo Cunha também pode tomar a decisão de renunciar ao mandato. Para isso, ele deverá protocolar a renúncia na secretaria da Mesa Diretora da Câmara. No dia seguinte ao protocolo, a decisão unilateral do deputado será publicada e se tornará irrevogável.

A decisão de Joaquim Barbosa vale para as penas de corrupção e peculato, que somam seis anos e quatro meses e para as quais não cabe mais recurso. João Paulo Cunha ainda responde por lavagem de dinheiro, pelo que foi condenado a mais três anos de prisão. Nesse caso, o deputado ainda pode apresentar recurso.

Notícias Relacionadas