Delegacia ouve policiais militares envolvidos em tiroteio em Copacabana

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Polícia Civil ouviu oito policiais militares envolvidos no tiroteio ocorrido na noite de ontem (31) durante a festa da virada de ano em Copacabana, zona sul da cidade. O tiroteio aconteceu quando policiais tentaram evitar a agressão de um marido contra sua mulher, na esquina da Rua República do Peru com a Avenida Nossa Senhora de Copacabana.

O suposto agressor foi identificado como Adilson Rufino da Silva, de 34 anos. Na versão da Polícia Militar, Adilson roubou a arma de um soldado e teria atirado contra os policiais militares. Ainda de acordo com a PM, 12 pessoas foram encaminhadas para hospitais, entre elas Adilson e o comandante do Batalhão de Copacabana, tenente-coronel Ronald Santana, ambos baleados.

Em nota, a Polícia Civil informou que a Delegacia de Copacabana – 12ª DP – está mantendo Adilson sob custódia no Hospital Municipal Miguel Couto, onde foi operado e está internado. Ele foi autuado por violência contra a mulher e tentativa de homicídio.

Além de ouvir os policiais envolvidos no episódio, a Polícia Civil apreendeu suas armas e as encaminhou para perícia. A delegacia ouvirá, também, as vítimas e tentará recuperar as imagens das câmeras de segurança da região.

Notícias Relacionadas