Capa » Bahia » Destaque Bahia » Pirelli implantará na Bahia 1º projeto de produção de vapor por energia solar

Pirelli implantará na Bahia 1º projeto de produção de vapor por energia solar

Beatriz Farrugia
Da Agência ANSA

São Paulo – A Pirelli e o Ministério do Meio Ambiente da Itália apresentaram, em São Paulo, um projeto de implantação do primeiro equipamento solar de grandes dimensões para a produção direta de vapor para ciclos industriais.

A tecnologia será instalada na fábrica da Pirelli em Feira de Santana, na Bahia, e, no futuro, poderá ser aplicada a outros setores do mercado brasileiro e mundial. O sistema, que teve um investimento do governo italiano de 1,3 milhão de euros, estará ligado diretamente às linhas de vapor utilizadas para a produção de pneus.

Segundo representantes da Pirelli, estima-se que a tecnologia proporcione uma redução de 2.000 toneladas de gás carbônico em cinco anos na planta de Feira de Santana.

Produzindo vapor de temperatura média, o equipamento a ser instalado possui uma superfície espelhada de coletores solares de 2.400 m². Atualmente, a planta de Feira de Santana possui uma área total de 480.000 m². A previsão para o projeto entrar em operação total é julho de 2014.

A tecnologia é fruto de um acordo assinado em 2012 entre o governo italiano e a Pirelli. Devido às características geográficas e meteorológicas da Bahia, a fábrica de Feira de Santana foi escolhida para receber o projeto piloto.

Todas as operações serão monitoradas pela Agência Italiana de Comércio Exterior (ICE) e pela organização não-governamental brasileira Fórum das Américas (FAM). Além disso, há a participação do Politécnico de Milão e do Grupo Angelantoni, o qual fornecerá a tecnologia exclusiva de sistema solar termodinâmico.

“O que acho mais fascinante nesse projeto é a transferência de tecnologia avançada para um país de economia emergente”, disse o diretor-geral para o Desenvolvimento Sustentável do Ministério do Meio Ambiente da Itália, Corrado Clini. “É um projeto inédito e já estamos estudando a possibilidade de aplicá-lo em outros setores, adequando sua escala”, completou.

Segundo Clini, está em andamento uma negociação com o governo de São Paulo para que a produção de vapor através de energia solar possa ser testada no setor civil e na refrigeração de hospitais.
(Ansa Brasil)