Egito prende líder da Irmandade Muçulmana

Agência Brasil 

Brasília – As autoridades do Egito detiveram hoje (30) o líder da Irmandade Muçulmana, Essam Al Erian, informou a agência de notícias do país, Mena. Al Erian, chefe do Partido da Liberdade e da Justiça da Irmandade, foi detido em seu apartamento, no distrito de Novo Cairo, na capital do país, onde estava escondido. Ele não resistiu à prisão.

O líder foi transferido ao complexo prisional de Tora, no sul da capital, onde muitos membros da Irmandade Muçulmana estão detidos. Al Erian é acusado de incitar a violência e a morte de manifestantes nos protestos do dia 30 de junho, que deixaram nove mortos e mais de 90 feridos.

Por meio de seu telefone celular, o líder enviou mensagens a membros e apoiadores da Irmandade imediatamente após ser preso, assegurando que os seguidores não devem entrar em pânico e que eles se “reencontrarão em breve”, disse.

Mais de 2 mil membros da Irmandade foram presos desde a saída do poder do ex-presidente Mohamed Mursi, no início de julho deste ano. Os apoiadores do regime de Mursi criticam o governo militar e caracterizam o movimento do Exército como sendo um golpe de Estado.

Eles negam que Mursi queria instalar um governo islâmico, argumentando que ele buscava um país democrático. O julgamento do ex-presidente e de outros 14 membros da Irmandade, inclusive de Essam Al Erian, está marcado para o dia 4 de novembro, na próxima semana.

Notícias Relacionadas