Propostas de arrendamento de portos de Dilma é criticada Wagner

Os planos do Palácio do Planalto para mudar a cara dos portos brasileiros enfrentam forte questionamento e insatisfação de empresários e governos estaduais. As propostas de arrendamento, encomendadas pela Secretaria de Portos da Presidência (SEP), perderam apoio até do governador baiano Jaques Wagner (PT), um fiel aliado político do Planalto. Descontente com os planos federais para os Portos de Salvador e Aratu, Wagner procurou ontem a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, para expressar contrariedade com as propostas e pedir mudanças no desenho dos dois portos, incluídos na segunda rodada de consultas públicas pela SEP.

A ministra Gleisi pediu a Wagner que aguarde o resultado da consulta pública e a audiência marcada para dia 17. O desacordo do governador baiano soma-se à ofensiva anunciada pelo governo do Paraná, que ameaça questionar na Justiça a licitação do Porto de Paranaguá sob alegações de falta de diálogo com o Planalto, restrição da concorrência e subutilização das áreas. Nos bastidores, os governadores estão incomodados com a forma dos anúncios, feitos sem consulta prévia a chefes políticos locais, apurou o Estado. Os planos também têm sido entendidos como uma interferência direta na esfera de influência de políticos aliados às vésperas das eleições de 2014. (Estadão)

Notícias Relacionadas