New Hit: pagodeiros acusados de estupro serão ouvidos dia 17

Pagodeiros da New Hit: laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) confirmou que houve violência sexual contra as duas adolescentes.
Pagodeiros da New Hit: laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) confirmou que houve violência sexual contra as duas adolescentes.
Salvador – Os dez acusados do caso New Hit, por estupro de duas adolescentes no dia 26 de agosto de 2012, serão ouvidos pela Justiça nos próximos dias 17, 18 e 19 de setembro na cidade de Ruy Barbosa, quando será retomada a audiência de instrução que foi adiada na última terça-feira, 3, a pedido de um dos advogados dos integrantes da banda. A promotora de Justiça Marisa Jansen, autora da ação penal, confia na “condenação dos réus pelo hediondo crime de estupro qualificado”.

A promotora informou que laudo pericial emitido por peritos da Coordenação de Genética Forense, do Laboratório Central de Polícia Técnica da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), concluiu que o material genético encontrado no sêmen recolhido nas roupas das vítimas bate em 99,99% com o perfil genético de seis dos dez acusados pelo crime. Ela destaca ainda que o laudo “não exclui da ação delituosa os outros quatro acusados e deverá ser analisado em conjunto com as demais provas reunidas”. Após a audiência de instrução, momento da apresentação probatória, a acusação e a defesa devem apresentar as alegações finais em um prazo de cinco dias, caso não haja requerimento de mais diligências ou caso o mesmo seja negado. Em seguida, a juíza terá dez dias para proferir a sentença.

Duas testemunhas arroladas por advogados de defesa dos acusados chegaram a prestar depoimento, antes que fosse adiada a audiência. O advogado Cléber Coelho, que defende cinco dos réus, solicitou à juíza Márcia Simões que adiasse a sessão devido a um clima de insegurança em relação aos clientes dele. Ele relatou à juíza que houve supostas agressões verbais de populares aos acusados, enquanto estes almoçavam em um restaurante. Além disso, um dos advogados de defesa também teria sido agredido verbalmente pelo prefeito da cidade. A juíza atendeu o pedido para salvaguardar a integridade física dos acusados e advogados. A promotora pediu à Justiça que requisitasse à polícia a apuração dos fatos.

Notícias Relacionadas