Médicos pagam propina para atuar fora de Cuba

CLÁUDIO HUMBERTO

Médicos cubanos pagam até 1 mil dólares de propina a funcionários da ditadura para trabalhar em países como Brasil e África do Sul, na esperança de fazer um pé de meia e ajudar a família em Cuba. A revelação é do médico cubano Darsi Ferrer, em entrevista à coluna. Ele atualmente vive nos Estados Unidos, na condição de asilado político. É considerado ex-prisioneiro de consciência pela Anistia Internacional.

Farol comunista – Em Cuba, a população tem acesso à limitada lista de remédios nas farmácias. Somente estrangeiros têm aceso à lista mais ampla.

Solidariedade – Diplomatas brasileiros em Havana vivem em farmácias adquirindo remédios para amigos cubanos como se fossem para eles próprios. (Coluna de Cláudio Humberto)

Leia também:

Notícias Relacionadas