Pela lei, ex-ministro Patriota é quem deveria ser processado

CLÁUDIO HUMBERTO

O ex-ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores), e não o diplomata Eduardo Sabóia, é que deveria ser processado por negligência, imperícia e imprudência, segundo preveem o Código de Direito Administrativo e Código Penal. Tudo em razão dos riscos à integridade física, psicológica e à vida dos funcionários da chancelaria do Brasil em La Paz, enquanto Patriota não dava a mínima para problema tão grave.

Cárcere privado – As restrições contra o senador Roger Molina desvirtuaram o asilo e o caracterizaram como cárcere privado. Aí entra o Código Penal.

Anfitrião cruel – Como esta coluna revelou, o senador boliviano foi confinado em um cubículo, não podia receber visitas e teve até o banho de sol limitado.

Desinteresse – A liberação de salvo-conduto foi inviabilizada por delongas propositais e paralisação do processo, por desinteresse de Patriota. E isso é ilegal. (Coluna de Cláudio Humberto)

Leia também:

Notícias Relacionadas