Deputados justificam ausência da sessão que não cassou parlamentar presidiário

Deputados tentam explicar ausência
Deputados tentam explicar ausência
O deputado federal Luiz Alberto (PT) disse ter se ausentado da sessão que não cassou o colega presidiário Natan Donadon (PMDB-RO) devido a sua participação, como convidado oficial de honra, na mesa de abertura da III Conferência de Promoção da Igualdade Racial do Estado da Bahia (CONEPIR), realizado na capital baiana.

A deputada Alice Portugal justificou que está em viagem oficial à República Popular da China desde o dia 19 de agosto e por isso não pode comparecer à sessão que resultou na não cassação do mandato de Donadon.

Artur Maia (PMDB) disse se encontrar em missão oficial na França desde o último dia 21 de agosto, com retorno previsto para este sábado (1º).

Carlos Cajado (DEM) explicou que estava na Câmara, mas deixou de votar por que sentiu um “mal-estar” e retornou à sua residência.

Josias Gomes (PT), José Carlos Araújo (PSD), Sérgio Brito (PSD) e Edson Pimenta (PSD), que também estavam em plenário, mas não participaram do julgamento do colega, nada justificaram.

Veja como foi a votação:

  • 470 deputados estiveram presentes no plenários da câmara ao longo do dia.
  • Destes, 459 deputados assinaram presença na sessão que votou a cassação do mandato de Donadon.
  • Destes, 405 chegaram a votar:
  • 233 a favor
  • 131 contra
  • 41 abstenções
  • 4 deputados estavam obstruídos e não podiam votar
  • 50 deputados estiveram na sessão e simplesmente não votaram.
  • 14 deputados faltaram à sessão e justificaram tais faltas.
  • 40 deputados, no entanto, também faltaram, mas não justificaram.
  • 24 votos separaram a cassação da suposta vitória de Donadon.

Leia também:

Notícias Relacionadas