Geradores não funcionam e ferryboat deixa milhares de usuários nos terminais

Os geradores dos terminais do sistema ferryboat, sem manutenção, não puderam funcionar. Faltou óleo diesel?
Os geradores dos terminais do sistema ferryboat, sem manutenção, não puderam funcionar. Faltou óleo diesel?
O velho Sistema Ferryboat, operado pela empresa Internacional Marítima, foi atingido em cheio pelo apagão, que deixou o Nordeste sem energia durante mais de três horas. Na verdade, o apagão poderia ser superado caso a concessionária contratada pelo Estado colocasse os geradores existentes nos terminais de São Joaquim para funcionar.

Mas o blecaute pegou a empresa “desprevenida”, porque nenhum dos geradores estava em condições de operar. Resultado, as pranchas das gavetas de atracação não puderam funcionar sem a energia fornecida pela Coelba. Estavam quebrados.

O que aconteceu com os geradores é o mesmo que todo dia os usuários percebem: a falta de manutenção, o abandono do patrimônio público. A Internacional está fazendo igual à TWB: deixa tudo sucatear para o governo gastar o dinheiro púbico e ela lucrar. O ferry Paraguaçu, reicorporado à frota com muita festa, em janeiro, pelo vice-governador Otto Alencar, voltou à Base Naval de Aratu. Só navegou um mês e está acabadinho. O Ipuaçu, que seria reformado e o mais novo da frota antiga de navios, foi condenado pelos experts em engenharia naval instalados no gabinete do médico ortopedista Otto Alencar.

Tortura – Milhares de usuários ficaram presos nos terminais e a fila de veículos é quilométrica, principalmente no Terminal de Bom Despacho. Usuários enviam mensagens reclamando da irresponsabilidade da Internacional Marítima em manter os geradores dos terminais parados. A Internacional é a empresa contratada pelo Governo do Estado para operar o ferryboat. Dizem que vai ganhar a concorrência para ficar à frente do sistema por até 25 anos.

Notícias Relacionadas