Deputados negam cobrança de R$ 2,7 milhões para livrar Raad de cassação

Os três deputados citados na acusação de extorsão de R$ 2,7 milhões para livrar Raad Massouh (PPL) da cassação repudiaram a denúncia. Deputado Michel (PEN)– que é delegado – considera a acusação caso de polícia e promete correr atrás de punição para o pastor, que estaria usando o nome dele em falso.

Os outros citados na denúncia, Joe Valle (PSB) e Agaciel Maia (PTC), também negaram qualquer participação na suposta tentativa de extorsão e negam conhecer o pastor da Igreja de Deus de Sobradinho II, Eliseu. Na manhã desta quarta-feira, horas antes da leitura da indicação da cassação, Raad Massouh procurou a Delegacia de Polícia para registrar a ocorrência.

Ele alegou que um pastor o procurou em 8 de agosto propondo livrá-lo da cassação caso ele pagasse R$ 2,7 milhões aos deputados Agaciel, Joe e Michel. Os três dividiriam a bolada. Raad entregou quatro áudios com as negociações aos policiais. A mesma denúncia também foi feita no Ministério Público do Distrito Federal e Território em 13 de agosto.

Coincidentemente, Raad resolveu protocolar ocorrência policial pouco antes da indicação da cassação porque “o Ministério Público investiga em sigilo”, contou. Ele alega não ter citado a extorsão na semana passada – quando se defendeu no plenário da Casa – para não atrapalhar as investigações.

No Departamento de Polícia Especializada (DPE), o deputado conversou com o diretor-geral Jorge Xavier e foi ouvido pelo delegado Luís Alexandre Gratão. Ambos devem procurar o Ministério Público antes de abrir uma investigação formal para saber quais procedimentos foram adotados no caso. (Diário do Poder)

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. Robson

    Esse Raad bandido ta chorando e “atirando” para todos os lados. O cara é tão ignorante q não percebe que acusar sem provas é inútil? E ainda vai ficar na lembrança a imagem de covarde e chorão… Não precisa disso, ele vai ser cassado de qualquer maneira.

Comentários estão suspensos