Será que a licitação do ferryboat terá só uma candidatura, como a do metrô?

Eduardo Pessoa, diretor-executivo da Agerba, diz que está fechando o balanço dos R$ 40 milhões que o Estado gastou com a docagem dos ferries. Os navios que ganharam "novos motores", voltaram a quebrar e alguns retornaram ao estaleiro. A conta está difícil para ser fechada...
Eduardo Pessoa, diretor-executivo da Agerba, diz que está fechando o balanço dos R$ 40 milhões que o Estado gastou com a docagem dos ferries. Os navios que ganharam “novos motores”, voltaram a quebrar e alguns retornaram ao estaleiro. A conta está difícil para ser fechada…

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

O processo de licitação para a concessão do sistema ferryboat, que deve ocorrer em setembro, caminha para ter o mesmo desfecho da licitação de 2006, quando somente uma empresa apresentou proposta, no caso a TWB. A licitação do metrô ligando Salvador a Lauro de Freitas, também só terá um candidato. Carta marcada? Combinação? No caso do ferryboat, em 2006 (governo Paulo Souto) foram levantadas muitas suspeitas. A TWB já estava atuando no ferry, com um contrato emergencial, participou sozinha e levou concessão por 25 anos. No contrato, uma das cláusulas previa investimento de R$ 100 milhões na melhoria do sistema, que seria feito pela concessionária. A empresa das três letrinhsa não investiu nada porque seu negócio era outro: promover o sucateamento das embarcações para (ela) construir novas e vendê-las ao Estado com superfaturamente.

Agora, os boatos já circulam em cima da futura licitação da travessia Salvador-Ilha de Itaparica. Como a TWB, a maranhense Internacional Marítima também foi convidada pela Seinfra/Agerba para assumir emergencialmente, por seis meses, as operações do sistema. A história, nesse aspecto, é igualzinha à de 2006. O governo, sempre com os cofres do dinheiro público abertos, colocou R$ 40 milhões, nesse período emergencial para reformar os ferries. Os serviços, acreditem, foram feitos pela própria Internacional, em parceria com a baiana Lumar. Como no caso da TWB, quando o Estado também tinha investido na reforma das embarcações, a frota já está sucateada de novo.

Agerba nada divulga -Vasculhando o site da Agerba (Agência de Regulação da Bahia), não existe nada ainda divulgado sobre a nova licitação do sistema ferryboat, que, se o prazo for realmente cumprido, teria que acontecer em 14 de setembro próximo, quando termina o contrato “emergencial” da Internacional Marítima.

Contudo, em uma audiência pública na última sexta-feira em Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, Eduardo Pessoa, diretor-executivo da Agerba, garantiu que o edital de “intenção” da licitação já tinha sido publicado e que em outubro haverá a concorrência. Soa muito estranho o fato de um assunto importante como é a licitação do sistema ferryboat não merecer uma linha sequer de notícia no site oficial da instituição. No link dedicado às licitações, nenhum edital publicado.

Essa mistura de marmelada com concessão, engenhosamente criada, fez o sistema ferryboat entrar em parafuso e sucateou o patrimônio público.

Na mesma audiência pública em Vera Cruz, Eduardo Pessoa reconheceu que o serviço da Internacional Marítima, a empresa que a Agerba trouxe para a Bahia, estava deixando muito a desejar. Era o mínimo que poderia ter feito diante de uma plateia formada em sua maioria por representantes da comunidade da Ilha de Itaparica, obrigada a conviver diariamente com o serviço caótico do sistema ferryboat.

Gastança – Pessoa, no entanto, procurou tranquilizar os críticos do servicinho ordinário, anunciando que o governo está comprando três embarcações na Europa para reforçar a frota. O dinheiro, portanto, é publico. Não deu detalhes do montante do investimento, que não deve ser inferior a R$ 80 milhões. Parece que o contigenciamento decretado pelo governador Jaques Wagner não atinge a Secretaria de Infraestrutura do vice Otto Alencar.

O mais interessante é que quando o governo da Bahia licita o ferryboat, a ”nova empresa” se responsabiliza apenas em chegar na Bahia, demitir e contratar pessoal e mais nada. Não investe um centavo e fatura toda a receita do sistema. Como se em nosso Estado não tivessem empresários capazes de gerir o sistema, que os governantes incompetentes vivem a alardear que “é uma coisa difícil”, que “na Bahia não existe empresa de navegação capaz”.

Puro blá-blá-blá. Pura mentira para desviar a atenção do negócio, que é rendoso e que já enriqueceu muita gente. O sistema sempre foi gerido por gente da terra e com muito mais competência. Desde que governantes  da Bahia adotaram essa mistura de marmelada com concessão, o sistema entrou em parafuso. Esse blá-blá-blá que se faz, trazendo empresários de fora sem nenhum compromisso com a Bahia e que só visam o lucro e o sucateamento do patrimônio público, tem muito a ver com a propaganda enganosa que o governo faz sobre os vergonhosos indicadores de violência da Bahia. A culpa da violência é do crack e não da falta de ação, de projetos, de seriedade e de competência desse governo.

P.S. Eduardo Pessoa avisou na audiência pública que a Agerba ainda está “fechando” o balanço sobre os R$ 40 milhões gastos pelo Estado na reforma dos navios. Esse balanço era para ser divulgado desde que acabou a intervenção da Agerba na TWB, dia 14 de março. Pelo tempo que estão trabalhando no fechamento, a agência parece encontrar dificuldades para contabilizar os gastos e explicar depois porque tantos motores dos navios foram trocados por novos e dias depois quebraram.

internacionalmaritima

Notícias Relacionadas

19 Comentários

  1. Gessé

    Sabe-se que a Internacional já está pressionando os comerciantes que trabalham no ferry. Decerto que assumirá o sistema. Quanto aos gastos do governo na intervenção, na verdade, beiram os 60 milhões. Só a Internacional papou a maior parte. É lógico que vai continuar.

  2. Fedegoso

    Esse povo não tem medo de nada. Não respeita nada. Não considera nada. Não está nem aí. Governam de costas para o povo. Sentem-se reis, acreditam que são reis, se fazem de reis e agem como que indicados por Deus.

    Teve um prefeito de triste memória que se dizia o enviado de Deus. Depois de vencido o seu prazo na prefeitura, quer ser governador (até pode ser mesmo) e se acha responsável pelo sucessor. Até acho que foi mesmo. Ah! Não voltou mais na igreja depois de terminado o mandato político. Religioso de dar gosto!Assim é a nossa elite, a nossa classe política. Ano que vem é ano de eleição. Não vai mudar nada.

  3. Lenise Ferreira

    A AUDIÊNCIA PÚBLICA QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA QUARTA FEIRA 14/08 COM A PARTICIPAÇÃO DA Agerba, representada pelo Sr. Eduardo Pessoa, os Deputados Nelson Pelegrino e Maria Del Carmem não nos trouxe nenhum alento a curto prazo.

    Questionado sobre a prestação de contas o Dir. Executivo da AGERBA informou que estará apresentando ao MPE as contas finais. Sobre a transferência de 24.800.000 para a TWB no período da intervenção ele informou que não foi para a TWB foi para a conta da intervenção que tinha o nome de TWB. Sobre a compra de novos barcos, informou que, aproveitando a crise na Europa, estão viabilizando a compra de 3 embarcações USADAS, com no máximo 3 anos de uso. Se for igual ao Ivete Sangalo ou Ana Nery, estaremos LASCADOS. O Ana Nery com um mes de uso jogou o carro do delegado no mar por causa de problemas que nunca foram sanados e de lá pra cá construiu uma longa história de acidentes.

    Sobre a meia passagem nos transportes públicos municipais, falou uma verdade, depende da gestão municipal……eis outro problema.

    Questionado sobre a TPP – taxa de poder de polícia cobrada nas lanchas, informou que esta taxa é cobrada em todo transporte público, que pagamos sem saber que ela esta embutida no custo das passagens e que garante a AGERBA atuar como polícia quando necessário.

    Vale salientar que a fiscalização deixa a desejar e que devemos ingressar com ação para derrubar esta taxa que , segundo o Deputado Pelegrino tem que ser paga por alguém, o povo ou os empresários. Só rindo……..sugeri a ele que deveria haver uma redução no repasse dos lucros para o governo……..melhor dizendo…..para a AGERBA.

    Quanto ao ferry Ipuaçu, Eduardo Pessoa confirmou que não é viável a recuperação do navio. Perdemos mais uma embarcação para o descaso, a omissão e negligência do governo do Estado.

    Nada de cartão SIBE enquanto não tivermos embarcações confiáveis………já deu vontade de chorar só de imaginar as longas filas que teremos que enfrentar para ir e vir trabalhar todos os dias. O Ferry Maria Betânia esta navegando quando já deveria estar docado para reparos e cumprimento de prazos determinados pela Capitania.

    A ANVISA e a Capitania andam insatisfeitos com o que estão encontrando em algumas embarcações imundas que navegam sem a higiene devida, proporcionando ambientes insalubre aos usuários. Faltam embarcações, pessoal para limpeza (muito criticada pelos usuários), faltam tripulantes nas embarcações, os terminais estão em estado deplorável. E a AGERBA acha que a Capitania está perseguindo os coitadinhos do sistema ferry boat quando prendem as embarcações.

    Fiz a proposta de mudança de horários. Por exemplo, quando a embarcação partir de Salvador Às 6 hs, sairá outra de Bom Despacho às 6:30. Se os atrasos são frequentes e previstos pela incapacidade em administrar de forma eficiente este sistema de transporte, que mudem logo o horário, ao menos nós poderemos nos programar ao invés de ficarmos esperando sem satisfação pela embarcação que não chega. O diretor da AGERBa não me deu resposta. Sobre o estacionamento de São Joaquim, informou que está na Justiça o pedido de reintegração de posse e que espera decisão do Juiz……..para variar…….a Justiça cega e morosa não responde.

    Cobrei a licitação do TERMINAL RODOVIÁRIO DE ITAPARICA e ele me respondeu que a licitação do sistema ferry boat, que segundo ele, foi publicada intenção de licitação, englobará o referido terminal como parte do pacote a ser explorado pela nova concessionária.

    PENINHA DOS USUÁRIOS ninguém tem. Já ganhei a fama de briguenta……e a única coisa que quero é o sistema ferry boat funcionando com eficiência e pelo que vejo……..ainda me resta um longo caminho……..muitas brigas virão e o verão promete ser mesmo muito quente. A quem devo mandar a conta dos prejuízos??? para o infeliz que criou a tarifa majorada aos sábados domingos e feriados????

    CABIDES DE EMPREGO, INCOMPETÊNCIA, PREVARICAÇÃO, CORRUPÇÃO, DESVIOS DE VERBAS, IRRESPONSABILIDADES, OMISSÃO, DESCASO…..UM VERDADEIRO MAR DE LAMA.

    1. Gessé

      Seria bom saber se a AGERBA ainda cobra 3% sobre as passagens. Pelo que sei as concessionárias do sistema devem repassar a AGERBA a título de taxa. Sendo assim, acho que o diretor Eduardo PEssoa deveria colaborar com os usuários e, retirando esse custo, diminuir o preço das passagens.

  4. Junior

    JORNAL DA MIDIA, aonde há fumaça a fogo, já circula um boato dentro da Interncional Maritima que o Ferry Rio Paraguaçu não está mais no terminal de Bom Despacho. Também será sucateado e vai pra corte que nem o Gal Costa Mont Serrat e Ipuaçu, que a empresa não tem condições de manter 10 navios com os dois que estão chegando.

  5. Vital

    A suposta decisão de mandar o Ferry Boat Ipuaçú para sucata está me deixando com as barbas de molho.

    O F/B Rio Paraguaçú e o F/B Ipuaçú foram construídos no Estaleiro Sol em Porto alegre no ano de 1983 e incorporados à frota da CNB no ano de 1984. Portanto, são navios relativamente novos e me causa estranheza a notícia de uma suposta decisão de enviar essas embarcações para corte.

    Por acaso houve alguma análise técnica aprofundada com medição de chapas e verificações das cavernas e longarinas?

    As cavernas e longarinas são as principais estruturas de qualquer embarcação. Se essas não estiverem comprometidas, qual será a verdadeira razão dessa suposta decisão?

    Sabemos que o governo pretende construir a ponte ligando Salvador a Ilha. Para essa construção haverá a necessidade de muitas balsas para dar suporte às obras.

    O mercado baiano é muito carente de balsas. E até no mercado nacional a frota de balsas é muito pequena para dar suprimento às necessidades que surgem no Brasil.

    O F/B GAL COSTA que foi precipitadamente colocado como sucata, foi arrematado por apenas R$ 50.000,00 e hoje está sendo transformado em Balsa lá na Marina Aratú.

    Uma Balsa para ser construída em qualquer estaleiro, dependendo do seu tamanho, pode chegar a R$ 2.000.000,00.

    O F/B Ipuaçú, embarcação das mais nova da frota, ser decidida ir para corte, me faz pensar que poderá ser transformada em mais uma Balsa e com preço bem barato.

    Em minha humilde ótica, o assunto Sistema Ferry Boat na Bahia é algo a ser analisado pelo Ministério Público Federal e não pelo Ministério Público da Bahia, pelas seguintes razões:

    1) Transporte público é dever Constitucional do Estado;
    2) Todo processo licitatório está previsto na Lei Federal 8.666/93;
    3) Todo ato da Administração Pública está disciplinado em Lei Federal e na Constituição Federal;

    Com base nesses três tópicos, não tenho a menor dúvida que o Ministério Público Federal precisa ser chamado à análise de tudo o que ocorreu nesse sistema.

    Não consigo compreender um desembolso na ordem de 60 milhões dos contribuintes, sem qualquer processo licitatório.

    Se a decisão de desembolsar todo esse valor foi baseada numa suposta ação emergencial, também precisa abrir o debate sobre essa tal emergência. O que é emergência, segundo a Lei?

    Haveria caos se o sistema parasse? Não há outra alternativa viária?

    Essas e outras questões precisam ser analisadas e no Forum competente, pois trata-se de dinheiro sagrado, pois é fruto dos impostos que cada trabalhador e empresário é obrigado a recolher ao Erário Público, mas que sua destinação e aplicação são muito bem definidas em Leis.

    Entendo que a OAB, AMB, ABI, o povo, precisam mobilizar-se para encaminhar esse grave tema ao Ministério Público Federal, a quem cabe analisar minunciosamente a aplicação desses recursos.

    Outras questões precisam ser bem avaliadas:

    1) Haveria necessidade de contratar uma empresa de consultoria, como foi o caso da LUMAR?

    2) Se haveria, qual foi o critério técnico adotado para chegar a escolha dessa empresa?

    3) Segundo a Lei de Licitações, essa empresa comprovou os critérios técnicos, econômico, tradição de serviços, dentre outros?

    4) E para a escolha da Internacional Marítima foram adotados os mesmos critérios previstos na mesma Lei?

    5) Os valores desembolsados foram, de fato, gastos nas reformas?

    6) Se foram gastos nas reformas, por que as embarcações continuam com problemas e alguma irão docar novamente, se já foram docadas?

    Pelo que vejo, a situação dos Ferries é grave e precisamos encontrar as respostas.

    Já não dá mais para tapar o sol com a peneira!!

  6. Fedegoso

    Coitada da Dona Lenise, foi fazer papel de boba.
    E o pior é que se um sujeito rouba uma laranja na feira de São Joaquim e corre, vai um enxame atrás dele de pau e porrete e o mete na cadeia.

    Coitada da Dona Lenise, tá fazendo papel de boba. E muito pior é que se ela atrasa uma conta de luz no comércio dela, vem um sujeito e corta a luz dela na hora que quiser, sem meio aviso, na marra e se bobear ele chama a polícia para dar segurança ao arbítrio dele.

    Coitada da Dona Lenise, acha que está tratando com gente séria, que mereça respeito. Coitada da Dona Lenise. E se após a reunião conferir a bolsa é bom conselho, aconselho.

  7. Gentil

    Meus senhores sejamos mais pragmáticos.Como diz um apresentador aí da vida, daqueles que grita e fala alto pra enrolar o povão abestalhado e que vive na mão do governo, entenderam? Pois é esse sabidão comentarista, milionário, diz com frequência pra o povo acordar pra vida.

    Eu vou repetir, acordem, o que tudo isso do ferry é muita podridão, é um gente ganhando dinheiro, roubando. Vcs são meninos ou vcs acreditam que esse Eduardo Pessoa, macaco velho, advogado das empresas de ônibus e diretor da Agerba, vocêsacreeditam que ele vai fazer esse relatório dos R$ 40 milhões?

    Espere viu dona Lenise, espere viu jornal da mídia? , espere que ele vai fazer viu…Oh como vocês são inocentes. Vão comprar navios ora…quanto custa cada? Com ou sem?

    E os ferries que vão ser cortados, vai sobrar alguma coisinha pra nóis eu. ? Porque eles buscam empresarios de fora para o ferry? Por que se for da Bahia fica mais fácil descobrir ou o cara daqui abrir o bico é um perigo. Vcs são bobos é? Vcs acham que aquele Reinaldo, com aquela cara de besta, não deu muito a muitos não é? Hum, respondam por favor? Nesse meio aí de ferry, de sucateiro, de reparo de navios, tem muita gente se dando bem e vcs não atentam que os caras tao esnobando, ontentando. Veja o dono da Lumar aí, os próprios defensores dele afirmam que aqui todo mundo tem inveja do carrão do homem, do AUDi dos aps dele na Marina, na Pituba, nItaigara, na Magalhães Neto. Isso é coisa pra profissional do negócio minha gente observem pelo amor de Deus. Não passem recibo que ninguém deixa de viveer nesse meio sem picaretagem não. Não sobrevive, só se for do ramo da picareta mesmo para fazer que tá batendo na sucata do navio.

  8. Lenise Ferreira

    Sr. Vital,

    a confirmação em relação a inviabilidade de reformar o IPUAÇU foi proferida pelo Eduardo Pessoa na AUDIÊNCIA PÚBLICA que aconteceu na última quarta feira na câmara de vereadores de Vera Cruz. Com o conhecimento técnico que o Sr tem sobre o assunto, me proponho a ir com o Sr ao MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL dar entrada numa representação ou uma ação civil pública.

    Podemos procurar ainda esta semana o ex governador CESAR BORGES, atual Min. dos Transportes. Ano passado ele reclamava na fila do ferry, agora parece esqquecido. Precisamos lembrá-lo dos dissabores que ele tb contirbuiu para aportar aqui na Bahia.

    SRS. GENTIL E FEDEGOSO, obrigada pela preocupação. DE COITADA eu não tenho nada, estou muito consciente do meu papel, da minha força e das minhas limitações. Desistir, jamais, esta não seria eu. A menos que eu consiga implantar outra empresa em Salvador e fechar as portas da que temos na Ilha. Mas a coisa não é tão simples quanto pode parecer. De mais a mais, em se tratando de poderes públicos constituídos, somos nós quem pagamos a conta e isto nos dá todo o direito e força para lutar para que as coisas funcionem como devem.

  9. Henrique - Vera Cruz Bahia

    Esse governo do PT não tem jeito não. É só maracutaia, mas eu especificamente não entrei aqui pra falar deles não. Entrei pra elogiar as matérias do Jornal da Mídia segunda-feira sobre o governo Wagner. Quanta porrada bem dada, meu Deus do céu num dia só vcs botaram o rombo que Wagner abriu nas contas do Estado, esculhambou o helicíptero de Wagner, tirou sarro com a estão da violência. Parabém pelo conteúdo e quem não leu tudo que eu disse aqui pode conferir no link aí embaixo:
    http://www.jornaldamidia.com.br/2013/08/19/a-bahia-faliu-quebrou-mas-de-quem-e-a-culpa/

  10. Vital

    Dona Lenise,

    Estou à sua disposição para nos encontrarmos e irmos ao Ministério Público Federal protocolar o ato pertinente.

    Precisamos buscar uma forma de contato. Pode ser através do Jornal da Mídia.

    Além desse ato jurídico, sou favorável a organizarmos uma manifestação e paralisação do sistema, pois não tenho nenhuma dúvida que haverão muitas pessoas a aderirem esse ato de indignação com toda essa bandalheira que está estabelecida.

    Da mesma maneira que o povo carioca vem mantendo forte manifestação contra o governador do Rio de Janeiro, aqui na Bahia precisamos mostrar a força desse povo e buscar lutar pra que tudo seja apurado e que os responsáveis sejam punidos.

  11. Fedegoso

    Srs., caso queiramos desmercer a nós mesmos, façamos a politização dos argumentos, dos comentários. E não estamos caindo nessa emboscada.

    A questão não está enviesada por questões partidárias, viu sr. Henrique, e como diz o senhor Vital, o negócio deve ser analisado via de judiciário, quiça a Justiça Federal, não só por ser matéria daquela esfera, mas creio que a insegurança vem também da falta de desfecho do órgão que cuida até agora da questão que se arrasta por tantos anos.

    Tempo de sobra para encontrar culpados, havendo, ou mesmo de apontar que estamos todos errados, o que não acreditamos nem por reza de padre velho, tão evidente são os danos sofridos pela população usuária, assim como aqueles que se mesclam em agremiações partidárias e sociedades de todas as bandeiras na direção do malfadado empreendimento.

    Exasperados? Não. Não mesmo.

    Indignados? Aí sim, pois que não perdemos a capacidade de nos indignarmos diante de tanta desfaçatez dos nossos agentes administradores, principalmente daqueles políticos que não largam o osso e, que para isso, não se avexam em pular de um partido para o outro, tudo para não apearem de polpudos salários que é o resultado dos impostos arrecadados dos nosso bolsos. Turminha levada!

  12. CAUÊ

    Pessoal escutem bem é tudo carta marcada. Quem vai ficar é a Internacional Marítima tá tudo garantido ontem eu falei com um cara da Agerba e ele disse que tudo está sendo feito pra Internacional que vai explorar os navios. Essse governo é uma gracinha. Só tem esperto e maracutaia.

  13. LENISE FERREIRA

    Sr. Vital

    ingressei com duas representações no MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, NA GEPAM com Dra. Rita Tourinho e na CEACON com Dra Joseane Suzart. Foi instaurado inquérito para uma das representações e fui convidada a depor no início de setembro. Gostaria muito de contar com o Sr como profundo conhecedor das questões técnicas que envolvem este sistema de transportes. Fui citada na Câmara de Deputados em Brasília e convidada a prestar esclarecimentos sobre o assunto. Com certeza poderemos contar com o apoio de deputados federais nesta luta.

    Não quero tornar esta questão política mas a força deles pode nos ajudar a buscar celeridade na apuração dos fatos. A promessa de mais um verão de prejuízos e desgastes, no que depender de mim, não passará em branco.

    Estamos organizando uma manifestação para o 7 de setembro. Lamentavelmente os usuários poderão sofrer um pouco mais com esta nossa intervenção, mas, como podemos fazer um omelete sem quebrar os ovos? Não podemos continuar empurrando com a barriga esta situação. Sabemos que as coisas poderiam estar bem melhores se os desvios de verbas, o descaso e o deboche de alguns dirigentes públicos fossem menores.

    Cobrar TPP – taxa de poder de polícia para a AGERBA quando a ordem é não fiscalizar, segundo queixas de fiscais da própria agência de regulação, é no mínimo um deboche. Tarifas caríssimas, majoradas aos sábados, domingos e feriados sem a menor justificativa, a promessa de compra de embarcações usadas………tudo me parece uma imensa falta de respeito e me revolta mais ainda quando um alienado, votado pelo povo, diz que alguém tem que pagar a conta, o povo ou os empresários………….POIS VAMOS MOSTRAR QUE CONTA QUEREMOS PAGAR.
    SOLICITO AO JORNAL DA MÍDIA QUE INFORME OS MEUS TELEFONES E EMAILS AO SR. VITAL

  14. Thiago Santos

    Sabe aquele desenho animado? Tem um personágem que fica o tempo todo repetindo…. EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…EU TE DISSE…
    Internacional é a TWB piorada !

  15. Lenise Ferreira

    Na audiência pública da semana passada Dr. Eduardo Pessoa afirmou que está multando a Internacional Marítima. Hoje, foi mais um dia de muitos atrasos e um fiscal afirmou que a ordem é apenas relatar o ocorrido, multar não. Que coisa feia Dr. Eduardo, mentindo nesta idade.

    Vejam também a publicação que visa ACABAR COM A TARIFA SOCIAL, conhecida como TARIFA POVÃO que sempre foi concedida nos dois primeiros horários SSA/ ILHA/ SSA, depois limitaram apenas para os usuários da ILHA. Agora, visando acabar, a AGERBA diz que será apenas para os beneficiários do BOLSA FAMÍLIA. Como ficam estudantes, trabalhadores, marisqueiros e pacientes que buscam tratamento na capital e que sempre viajaram nos primeiros horários para tentar amenizar os custos elevadíssimos das passagens? Já não bastam as tarifas majoradas aos sábados, domingos e feriados sem qualquer justificativa?

    COMO RESPEITAR ESTES HOMENS? LEMBREM BEM DO QUE ESTÃO FAZENDO COM O POVO QUE TRABALHA NA HORA DO VOTO. TEM GENTE NO MEIO DESTA CORJA QUERENDO SER CANDIDATO. VEJAM BEM………..LEMBREM DO QUE DISSE O DEPUTADO NELSON PELEGRINO SEMANA PASSADA: “ALGUÉM TEM QUE PAGAR ESTA CONTA, OS USUÁRIOS OU OS EMPRESÁRIOS”……ESTAMOS pagando uma conta cara por um serviço medíocre como os serviços prestados pelos políticos brasileiros que fizeram da política meio de vida.

    JORNAL DA MÍDIA, por favor, repasse meus telefones para o comandante Vital. Agora estou disposta a tudo.

  16. Lenise Ferreira

    Vejam matéria publicada há algum tempo atrás. Agora os interesses seguem outros rumos.

    ‘Tarifa Social’’ está garantida para os moradores da Ilha de Itaparica

    A Agerba, autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Infra-Estrutura (Seinfra), revogou na última quinta-feira (23) a Resolução nº 16, publicada no final do governo passado, que estabelecia como condição para o benefício da “Tarifa Social” no sistema ferry-boat a comprovação, pelo usuário, de ser registrado no Cadastro Único do Governo Federal.

    Este documento, que vinha sendo solicitado pela operadora TWB para o cadastramento dos usuários beneficiados, estava causando controvérsias sobre a manutenção ou não da tarifa. A “Tarifa Social” garante aos moradores da Ilha de Itaparica o direito de utilizar o ferry-boat nos horários de 5 horas e 6h10, pagando o preço de uma tarifa normal, mas com direito ao retorno sem pagar. Ou seja, um abatimento de 50% no valor da tarifa.

    O benefício é válido somente para o passageiro (pedestre) e, exclusivamente, no sentido Bom Despacho-São Joaquim. O valor da tarifa normal de pedestre é R$ 3,10, de segunda a sexta-feira, e R$ 4,10, nos demais dias. A nova resolução da Agerba foi publicada no Diário Oficial do Estado.

    “A Tarifa Social é um benefício estabelecido no contrato de concessão firmado entre o Estado e a TWB, e não existe nenhuma possibilidade de ser extinta. Cancelamos a resolução anterior, publicada no DO em 22 de dezembro de 2006, e vamos promover estudos com o objetivo de adequar o benefício à nova tecnologia de bilhetagem eletrônica que será implantada pela operadora TWB, mas sem qualquer prejuízo aos usuários”, explicou o secretário estadual de Infra-estrutura, Antonio Carlos Batista Neves, ressaltando que “a população não tem que fazer qualquer cadastramento”.

    Por seu alcance social, a tarifa é muito importante para os moradores da Ilha, principalmente, para os trabalhadores que se deslocam, diariamente, para Salvador a fim de comercializar seus produtos. São pescadores, marisqueiras e pequenos produtores de frutas, em sua maioria, que garantem o sustento de suas famílias vendendo na Feira de São Joaquim, na Calçada ou na Rampa do Mercado.

    “O contrato de concessão é claro ao estabelecer a manutenção do benefício e cabe à Agerba, como órgão regulador e fiscalizador, fazer prevalecer o benefício, garantindo o direito do usuário”, disse o diretor-executivo da Agerba, Antonio Lomanto Netto.

    Multas – Além da revogação da resolução do governo passado, a TWB foi multada por não cumprir a determinação da Agerba, de colocar horários extras no último domingo (26) visando atender ao fluxo de passageiros e veículos que estavam em Bom Despacho para fazer a travessia com destino a Salvador.

    O diretor-executivo da agência estadual, Antonio Lomanto Netto, informou que a concessionária do sistema ferry-boat foi autuada seis vezes no domingo e 56 vezes neste mês de agosto. O montante total das atuações chega a R$ 56 mil.

    “Como agência reguladora e fiscalizadora do ferry-boat, a Agerba não abre mão do direito de tomar medidas para garantir aos usuários um serviço de qualidade. Vamos agir com o mesmo rigor, sempre, e esperamos que o fato não volte a se repetir”, advertiu Lomanto Netto. Por conta da falta de horários extras, muitos usuários procuraram a Agerba para registrar reclamações contra a TWB.

    28/8 – 18:26 | Fonte: Ascom/Agerba

  17. Fedegoso

    Em tempos de guerra quem mais sofre é a verdade. Depois, os velhos e as crianças.

    Pois bem, quem ainda não sabe que esse pessoal da política só sabe mentir? … essa cambada peçonhenta. Mentem quando dizem que vão fazer. E mentem quando dizem que não vão fazer. São profissionais da mentira. São tão viciados na mentira que mentem até dormindo. Quando naquela hora vão dizer que amam, trocam os nomes. Eu acho que com eles só vai ter dum jeito. Mas se eu disser qual o jeito que eles têm medo, eles me processam. Mas de conversa eles não tem medo não.

  18. Gessé

    Em função da extinção de cobrança dos impostos federais PIS e COFINS, a AGERBA deveria autorizar, de imediato, a redução da passagem do ferry boat. Como também extinguir a cobrança da taxa de 3% que a concessionária, no caso a Internacional, tem de lhe repassar. Acho que o Brasil inteiro deu mostras do que quer quando da recente mobilização, mas parece que estão esperando a população da ilha tomar medidas drásticas. É pagar pra ver.

Comentários estão suspensos