Deputados trocam Marina pelo partido da Força Sindical

CLÁUDIO HUMBERTO

Com o projeto de criação do partido Rede naufragando, aliados da ex-senadora Marina Silva têm procurado o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira (PDT-SP), para negociar adesão ao “Partido Solidariedade”, neste momento mais viável. Para os presidenciáveis Eduardo Campos (PSB-PE) e Aécio Neves (PSDB-MG), loucos por fatos novos na política, o novo partido vai atrair infiéis do governo Dilma.

Só o ouro – Na avaliação do PSB, se conseguir até trinta deputados, o Partido Solidariedade ganhará mais de dois minutos de tempo de TV em 2014.

Sem Marina – Apesar de acolher “marineiros”, Paulinho da Força tem dito que jamais entregaria o novo partido a Marina: “Ela é grande demais pra nós…”

Sonho meu – O ex-governador tucano José Serra (SP) bem que tentou articular a criação do MD, fusão do PPS com o PMN. Foi por água abaixo. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. alan kevedo

    A erudita Dra. Elaine Pagels, fala, entre outros idiomas, o hebraico, o grego, o latim que alguns equivocados dizem que é “Língua morta”, o copta, uma língua anterior ao árabe, o aramaico que na Palestina do tempo de Jesus era um dialeto local, embora língua principal dos arameus e por tudo isso não é de se espantar que essa brilhante mulher, já na segunda metade do século passado, em sua formidável obra THE GNOSTIC GOSPEL, Editora Random Hause, 1979, Nova Iorque já dizia que a palavra Adão, em hebraico, trazia o radical revelador de que a androginia corria solta no alvorecer da humanidade e que os versículos bíblicos de Mateus (19:3-12 ) foram significativamente alterados, para ocultar essa condição humana. Assim nas facciosas versões bíblicas ocidentais o original em que Deus criara HOMEM/MULHER recebeu uma conjunção e virou HOMEM E MULHER. Parece que agora, na Alemanha, com a legalização do “Sexo indefinido”, a doutora começou a ser ouvida. Nós que jamais tivemos que carregar o pesado fardo do preconceito, contra, seja lá , quem for, ficamos imaginando que para a IRMANDADE RELIGIOSA brasileira sô resta uma forma de se proteger. Voltar à antiga e proibir a membresia dizimista de ficar por aí, ouvindo essa mídia SATÂNICA.

Comentários estão suspensos