A Bahia faliu, quebrou. Mas de quem é a culpa?

papoafiado

A BAHIA FALIU. MAS…DE QUEM É A CULPA?

O que todo mundo já desconfiava, agora é fato: o Estado da Bahia faliu. Semana passada, o governo baiano anunciou um corte de despesas de mais de R$ 300 milhões, eliminou cargos de confiança e até reduziu a verba para viagens e aluguel de carro.

O objetivo das medidas, diz o governador, é reequilibrar as contas do Estado.

Mas quem causou o tal desequilíbrio? O governo petista.

Gastando com que? Sabe Deus.

Alguém consegue apontar alguma melhoria na área de segurança pública? E na educação? E na saúde? E na infraestrutura?

Nada, absolutamente nada que justifique tamanho desastre financeiro.

Wagner manda cortar despesas e exonerar para "economizar". E o helicóptero consome quanto dos cofres públicos?
Wagner manda cortar despesas e exonerar para “economizar”. E o helicóptero consome quanto dos cofres públicos?

QUANTO CUSTA O HELICÓPTERO?

Com o contigenciamento decretado,o governador Jaques Wagner deveria dar o exemplo,  sair na frente.

Podia  deixar de usar o helicóptero do governo para se deslocar de Ondina para o Centro Administrativo.

Afinal, que contigenciamento é esse que não chega aos gastos espetaculares do Palácio de  Ondina?

Que tal, governador?

MISTÉRIO

Aliás, a grana que o Estado gasta com o os vôos de Wagner de helicóptero é uma coisa misteriosa. Fala-se em R$ 300 mil/mês só de combustível, mas há quem assegure que é o dobro.

ESCAFEDEU-SE

O deputado estadual Luciano Simões entregou um requerimento na Casa Civil desde julho. Ele quer que o governo discrimine e divulgue quanto o Estado gasta mês a mês com o helicóptero usado por Wagner. Foi surpreendido semana passada com a informação de que o requerimento desapareceu. Nenhum funcionário da Ouvidoria da Casa Civil conseguiu localizá-lo.

Com Schmidt, o Bahia vira PT e continua sendo comandado por políticos.
Com Schmidt, o Bahia vira PT e continua sendo comandado por políticos.

WAGNER IMPÕE SCHMIDT NO BAHIA

Fernando Schmidt, chefe do gabinete do governador Jaques Wagner, desponta como o ”favorito”  para ser o novo presidente do Bahia. Ele conta com o apoio de Sidônio Palmeira – marqueteiro de Wagner -, de Bobô, diretor da Sudesb e empregado do governador, da primeira-dama Fátima, do próprio Wagner, da turma do PT inteira.

O governo vai jogar pesado para eleger Schmidt. A eleição para o governo do Estado é no ano que vem e a Nação tricolor é um prato cheio, cheio não, farto de votos, milhões de votos.

Schmidt é cria de Osório Villas Boas, que se arrependeu muito depois de ter contemplado o então funcionário da Óticas Teixeira com a presidência do clube. Osório passou a achar depois que  atual secretário de Wagner era  devagar demais, quase parando,  para atuar no meio do futebol.

Se vivo estivesse, Osório estaria p… da vida com a volta de Schmidt, que por sinal estava há anos sem pagar as mensalidades de sócio.

COISA ARCAICA

Schmidt foi  presidente do Bahia na década de 70 (de 76 a 79) – quando o futebol tinha um outro aspecto e nível. Já se passaram mais de 20 anos, pois. Ficou para trás, é ultrapassado, pesado, arcaico

Mas, quem se importa com isso?

Eleito, Schmidt pode tentar implementar no Bahia o padrão de gestão do governo Wagner.

Não vai ser nada bom.

SEM ACORDO

Enquanto Wagner e o PT  vão impondo Schmidt guela abaixo da torcida tricolor, o empresário de futebol e radialista Antonio Tillemont, que há um mês está em campanha, garante que “não tem acordo certo” para desistir da candidatura.

Fala-se que Tillemont já foi consultado para fazer uma composição e entrar na chapa de Schmidt.

SALVADOR VIROU A TERRA DO MEDO

Comovente o esforço da Secretaria de Segurança Pública (SSP) em esclarecer o assassinato da servidora da Ufba Selma Barbosa Alves. Os autores do crime foram presos em 24 horas.

Na Bahia, funciona assim: crimes contra policiais e aqueles com grande repercussão na mídia são logo resolvidos. Os demais, ou seja, praticamente todos, caem no esquecimento.

A SSP jura que a violência está diminuindo no Estado. Segundo a secretaria, o numero de homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte caiu quase 11% nos primeiros seis meses deste ano na Bahia em relação ao mesmo período de 2012.

Parabéns, secretário Maurício Barbosa.

O esforço agora é convencer a opinião púbica de que esses números são reais e expressam o sentimento dos baianos e a realidade das ruas, da periferia, dos bairros nobres, dos becos, das esquinas e delegacias dessa cidade.

Salvador virou a terra do medo. Hoje, é programa de risco fazer compras no supermercado ou num shopping de bairro, ir num restaurante, dar carona, estacionar o carro, caminhar por ai, passear, brincar, ser gente.

VIOLÊNCIA EXPLODE E WAGNER CULPA O CRACK

Na Bahia, a explosão da violência é culpa do crack. Jaques Wagner, seus secretários e a propaganda oficial repetem isso exaustivamente, num blá-blá-blá interminável, nada convincente e que não se sustenta na realidade e tampouco no bom-senso.

Tentam nos convencer de que o crack é um produto genuinamente baiano, que só existe aqui – uma espécie de arrocha do mundo das drogas.

Não, não é  não Wagner.

São Paulo tem crack. Tem até uma cracolândia por lá, governador.

Rio também tem crack.

Rio e São Paulo reduziram a violência.

Como? Com investimentos, gestão e bons projetos.

Aqui o governo menosprezou a bandidagem e perdeu feio. E quem paga o pato? O cidadão de bem.

DECADÊNCIA BOMPREÇO

O Rede Bompreço já viveu dias melhores. A loja da Boca do Rio dá pena. Ontem (domingo) o aspecto era o pior possível: iluminação precária, calor, caixas e gôndolas velhos, caindo aos pedaços. Tudo muito feio.

Quem entra na loja tem vontade de sair logo dali, correndo, de preferência com as mãos vazias.

DE MAL A PIOR

Errou que apostou que com a saída da TWB o sistema ferryboat iria melhorar.

E errou feio. A travessia para a Ilha continua  um inferno.

A Internacional Marítima da terra de José Sarney cai pelas tabelas em ritmo alucinante. No mesmo ritmo do sucateamento dos navios.

ARENA FONTE NOVA É ZEBRA

A euforia em torno da Arena Fonte Nova passou. O estádio, que consumiu a bagatela de R$ 700 milhões, deixou de ser novidade.

Só 10 mil torcedores ontem no jogo Bahia x Santos.

A inviabilidade econômica do projeto está mais que clara. Construída só para jogos de futebol, não tem como segurar os custos operacionais.

Com  o ingresso mínimo a R$ 60, o povão tricolor fugiu -ou foi expulso –  das arquibancadas. As  imagens dos jogos transmitidos pela TV não deixam dúvidas sobre o perfil do torcedor presente.

E os preços das cantinas e lanchonetes arrepiam. Uma pipoca por R$ 10 e uma latinha de uma horrorosa  cerveja pelo mesmo preço doem no bolso.

O pibinho da Bahia não comporta tamanha extravagância.

Notícias Relacionadas

7 Comentários

  1. Germano Menezes

    Melhor que seja assim não??? Cortar gastos é sinal de responsabilidade adminsitrativa. Melhor do que esperar que fique incontrolável.

  2. josias

    EU IMAGINAVA QUE COM UM GOVERNO DO PT ESTARÍAMOS PRONTOS E PARA UM DESENVOLVIMENTO COM BOAS ESCOLAS BONS HOSPITAIS E ETC.. LEDO ENGANO OS HOMENS QUE MONOPOLIZAVAM A ÉTICA ,A MORAL E OS BONS COSTUMES MOSTRAM QUE SÃO VERDADEIROS BANDIDOS HOJE QUEM HERA HONESTO NO PT OU FOI EXPULSO OU SAIO E O PIOR DE TUDO E QUE SOMOS CULPADOS PORQUE NÃO PENSAMOS ANTES DE VOTAR PRINCIPALMENTE EN DEPUTADOS

  3. Adriano

    A iniciativa de cortar os gastos me pareceu bastante interessante, já mostra uma preocupação do governo em relação à população. E em relação ao uso do helicóptero, as pessoas precisam entender que, se tratando de um Governador do Estado, é extremamente inviável que o mesmo saia por aí andando de carro aberto, como fez o Papa, ou até mesmo pegando transporte público, isso tá na cara que não dá certo. Não tô dizendo que o governo é o mais certo para a administração, mas cabe às pessoas reconhecer certas iniciativas, porque criticar, todo mundo critica.

    1. Suzan Kappel

      Amigo, você sabia que o primeiro ministro da Inglaterra – David Cameron desloca-se de casa para o trabalho de metrô? Porque nossos políticos não podem fazer? Medo de serem reconhecidos e cobrados para terem uma administração mais adequada? Talvez.

  4. Edivaldo dos santos silva

    Engraçado todo mundo adora meter o malho na Bahia, agora enviar sugestões boas aproveitáveis e elogios não sabem. Não faço apologia ao PT, agora se ele esta diminuindo gastos para bons objetivos não há do que reclamar, não votei nele e espero que o nosso povo abra os olhos e enxergue que o que ele tinha de fazer e não fez não fará mais. Não gosto de jogo, a arena é um legado a cidade de Salvador se não ficou completa de torcedores não quer dizer que foi feita para nada, Salvador precisa de uma ponte, nunca aplaudir este sistema de ferryboat ,espero que realmente saia do papel e entre na história. Iluminação pública é responsabilidade do governo, dentro de qualquer estabelecimento é responsabilidade do proprietário, portanto se você foi e se sentiu um lixo, fale com o dono do Bompreço que ele esta em Salvador, não no Congo. No Brasil existe 26 estados mais o distrito federal, se Salvador faz medo por estourar a violência, porta de casa serventia do destino, você pode escolher os 25 estados que quiser para morar e ser feliz. Tenho certeza que Salvador não vai sentir sua falta.

    1. Aline

      Meu caro, se a sua resposta para a violência de Salvador é “pode ir para qualquer outro estado”, você é um completo imbecil.

    2. L.

      É um contribuinte e uma mão-de-obra a menos, retardado mental.

      Sobre a matéria, afirmo a veracidade da mesma. E ainda Salvador fede a lixo, assim como Recife. Motivo? Falta de educação doméstica do povo que reside nas respectivas cidades e joga lixo indiscriminadamente em qualquer lugar. Quem afirma o contrário é porque nunca sai de casa.

Comentários estão suspensos