Ministro da Agricultura se mantém entregando cargos ao PMDB

CLÁUDIO HUMBERTO

Para se livrar das ameaças de “perder sustentação”, o ministro Antônio Andrade (Agricultura) negocia a entrega ao líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, de cargos “furam poço”: as secretarias de Defesa Agropecuária, que regula a venda de carne, e Relações Internacionais do Agronegócio, reservadas ao advogado Rodrigo Figueiredo e Pedro de Camargo Neto, ex-diretor da Associação Brasileira de Carne Suína.

Paredão – Em jantar do PMDB, no recesso branco, deputados chegaram a xingar o ministro Antônio Andrade, por não “entregar” os cargos prometidos.

Sujeira na certa – Kátia Abreu (PSD-TO), que indicou Enio Marques, atual secretário de Defesa Agropecuária, alertou o Planalto dos riscos de ceder ao PMDB.

Teto de vidro – O PMDB teme novas denúncias contra Antônio Andrade no esquema de propina na Petrobras, denunciado pelo lobista João Henriques. (Coluna de Cláudio Humberto)

Leia também:

Notícias Relacionadas