Acre: Brasileia vira um inferno para refugiados haitianos

CLÁUDIO HUMBERTO

O sonho dos haitianos de uma vida melhor no Brasil se transformou em “catástrofe humanitária” em Brasileia (AC), diz o relatório da visita da ONG Conectas, no início do mês: o galpão para 200 pessoas abriga 800 haitianos, com 10 banheiros e oito chuveiros, sem sabão, esgoto a céu aberto e teto de zinco, temperatura de 40 graus. Quase todos têm diarreia. A ONG acusa o Brasil de “maquiar” uma crise internacional.

Caminho de volta – Haitianos se dizem “enganados” na promessa de refúgio e preferem voltar ao seu miserável país, após roubados por atravessadores.

Vendaval financeiro – O governo do Acre diz que só recebeu R$ 2 milhões do governo federal em quase três anos, e que 40 novos haitianos chegam todo dia. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas