Valem ouro os dados que TSE confiaria à Serasa

CLÁUDIO HUMBERTO

A empresa Serasa Experian cobra a média de R$ 4,80 por informação cadastral enviada a lojas e financeiras. E são centenas de milhares de pedidos de informação cadastral diariamente, por isso vale ouro o banco de dados de 141 milhões de eleitores em poder do Tribunal Superior Eleitoral, um dos mais completos e confiáveis do País. Serasa e TSE negam que a transferência dos dados tenha sido efetivada, mas somente uma auditoria técnica rigorosa poderá atestar isso.

Mãe lucrativa – O nome da mãe do cliente, diferenciando-o de homônimo, por exemplo, é informação que a Serasa cobra caro de lojistas e financeiras.

Passando a limpo – A ministra Carmen Lúcia, presidente do TSE, instituiu comissão de técnicos do TCU, MPF e CGU para auditar o acordo com a Serasa.

Referendo – Na sessão desta terça-feira, o plenário do TSE deve referendar a decisão da ministra Carmen Lúcia de anular o acordo com a Serasa. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas