Autor de atentado em Jacobina é preso e queria matar a namorada

Camila teve 80% do corpo queimado
Camila teve 80% do corpo queimado
Salvador – O delegado Fábio Santos da Silva, coordenador da 16ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Jacobina), solicitou à Justiça, nesta terça-feira (13), a conversão da prisão temporária de Ânderson de Oliveira Lopes, 18 anos, em preventiva. Ânderson é o responsável pelo atentado a um restaurante, na região central de Jacobina, onde sete pessoas ficaram feridas e cujo alvo era a ex-namorada dele Camila Aquinos dos Santos, 18 anos, que está internada no Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, com queimaduras graves. Ela teve 80% do corpo queimado.

Ãnderson foi reconhecido por testemunhas que o viram chegar numa motocicleta e atirar um artefato explosivo, conhecido como coquetel mototov (fabricado com o uso de uma garrafa pet cheia de gasolina, com uma camiseta no gargalo e uma bomba junina de tamanho grande), em direção de Camila. Os dois namoram por um período e, depois do fim do relacionamento, passou a ameaçá-la, inconformado com a separação.

Segundo o coordenador regional Fábio da Silva, a vítima, no dia do crime, já tinha recebido vários telefonemas de Ânderson, que insistia em descobrir o seu paradeiro, afinal revelado por ela. “Camila já não saia mais sozinha com medo das ameaças e naquele dia estava acompanhada do padrasto e da irmã, daí ter dito ao ex-namorado onde estava”, explicou o delegado.

“O inquérito que apura o crime já está em fase de conclusão e deverá ser remetido à Justiça nos próximos dias”, informou o delegado Rogério Menezes, titular da Delegacia Territorial de Jacobina. As testemunhas e familiares de Camila foram ouvidos e Ânderson será indiciado por tentativa de homicídio e ficará custodiado na carceragem do Complexo Policial de Jacobina, à disposição da Justiça.

Notícias Relacionadas