Israel anuncia construção de 1,2 mil casas na Cisjordânia

AGÊNCIA ANSA

Tel-Aviv – O ministro da Habitação de Israel, Uri Ariel, anunciou hoje, dia 11, a construção de mais de 1,2 mil casas em Jerusalém e na Cisjordânia.

“Nenhuma outra nação do mundo pode aceitar imposições de outros países sobre onde é possível construir e onde não”, afirmou Ariel, membro do partido extremista HaBayit HaYehudi [A Casa Hebraica, na tradução livre]. As novas casas serão realizadas em Gilo e Pisgat Zeev, subúrbios de Jerusalém localizados além das fronteiras de 1967, e nas colônias da Cisjordânia de Ariel e Beitar Illit.

O ministro da Economia e líder do partido centrista Yesh Atid [Tem futuro, na tradução livre], Yair Lapid, definiu o anúncio de Ariel como “uma trave entre as rodas da paz”. “Tudo isso é desonesto e não ajuda o processo de paz”, afirmou Lapid. O líder do partido de esquerda Meretz [Energia, na tradução livre], Zahava Gal-On, também condenou a declaração de Ariel, alegando que “destruirá os colóquios de paz”.

“A Autoridade Nacional Palestina (ANP) está muito preocupada com a intenção de Israel de continuar a construir colônias no meio da retomada das negociações de paz”, declarou o porta-voz do governo palestino à ANSA, Ihab Bessaiso, lembrando como os Estados Unidos e a União Europeia (UE) sejam contrários a essa política. Respondendo a fala do ministro da Habitação, Bessaiso afirmou que “em nenhum outro lugar do mundo existe uma tentativa de colonizar territórios ocupados”.

Hoje a comissão que escolherá os nomes dos primeiros 26 prisioneiros palestinos que serão libertados por Israel começou suas atividades. O governo israelense anunciou que libertará 104 prisioneiros como sinal positivo para a retomada das negociações de paz com a ANP. (Ansa Brasil)

Notícias Relacionadas