Temendo o efeito da crise Bahia, oposição do Vitória se mobiliza e contesta números da era Alexi Portela

Walter Seijo, ex-diretor, contesta números da diretoria de Alexi Portela e garante que o Vitória deu para trás nos últimos sete anos.
Walter Seijo, ex-diretor, contesta em informativo dirigido à torcida rubro-negra os números da diretoria de Alexi Portela e garante que o Vitória deu para trás nos últimos sete anos.
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Em qualquer atividade, em qualquer instituição, em qualquer governo, se não houver oposição nada caminha, nada vai para a frente. As eleições do Esporte Clube Vitória se aproximam e as divergências em relação ao quadro atual do clube ocorrem principalmente nas redes sociais e quase nada na imprensa, nos blogs e sites de notícias da Bahia.

No noticiário da grande imprensa nada se notícia, nos blogs políticos, muito menos e na mídia esportiva de rádio parece até que o pleito não existirá. É como se o candidato da situação, Carlos Falcão, já estivesse eleito há muito tempo e na prática comandando o clube. Falcão é candidato de Alexi Portela, com apoio de Marcelo Nilo, presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.

Diretor remunerado do Vitória, ele é quem define atualmente as diretrizes em todas as áreas do clube – imprensa, marketing, futebol, divisões de base -, mesmo antes de ser contemplado com o cargo de presidente do clube, como alguns garantem que será dele. Pelo menos duas vezes por semana, Falcão dá entrevistas em emissoras para divulgar os seus “planos”, as suas “metas”. E quem é oposição não tem vez nem voz.

Tido como um dirigente de “livre trânsito” no meio empresarial da construção, Falcão parece costurar bem a sua candidatura junto a setores do governo do Estado, da Prefeitura e, principalmente, com os gestores da Arena Fonte Nova. Aí é onde mora o perigo. Em algumas entrevistas que já deu em emissoras de rádio, ele, o candidato de Alexi e Marcelo Nilo, já deixou no ar claramente uma certa tendência de levar os jogos do Leão de vez para Arena. Para o Barradão, para ampliar a infraestrutura do estádio, não parece ter planos.

Esta semana o presidente Alexi Portela deu várias entrevistas tentando desconfigurar ou “enterrar” de vez a ideia de que o grupo atual que comanda o Vitória quer trocar a Arena pelo Barradão. As declarações de Alexi começaram a proliferar mais na mídia radiofônica depois do editorial do JORNAL DA MÍDIA, com o título Alexi Portela parece trabalhar para inviabilizar o Barradão. Ainda não leu? Então clique AQUI.

Hoje acontece a reunião do Conselho Deliberativo do Vitória e um dos principais assuntos da pauta seria o anúncio de mais jogos na Arena Fonte Nova em 2014. Segundo o misto de conselheiro e comentarista esportivo Sinval Vieira, o Vitória estaria levando 20 jogos para a Fonte Nova em 2014. Foi ele quem afirmou na Rádio Transamérica. Além de conselheiro, Sinval é muito bem relacionado na área esportiva do governo da Bahia – ele é diretor da Sudesb e devia estar muito bem lastreado para afirmar sobre os 20 jogos na Fonte Nova ano que vem.

Oposição Reage – Bem diferente do que sempre aconteceu com o rival Esporte Clube Bahia, setores de oposição do Vitória trabalham para que o clube não entre no continuísmo sem fim, com eleições com cartas marcadas e com membros da diretoria escolhidos a dedo por conselheiros influentes, por políticos nem sempre comprometidos com o futuro do clube, por marechais e nunca pelo torcedor.

O ex-presidente Paulo Carneiro e o ex-diretor administrativo Walter Seijo estão divulgando um informativo, que começou a circular hoje (8), para rebater os resultados do relatório da diretoria do Vitória. Com o título “A Verdade em Fatos”, o jornalzinho contesta as realizações de Alexi Portela e garante que o clube está atrasado e ficando para trás em todas as áreas – patrimônio, marketing, gestão administrativa, futebol, divisão de base, etc.

“Se for ético lavar a roupa suja do clube nos microfones da vida não sabemos o que é ética. Xingamentos e falta de respeito à história do clube virou uma constante para satisfazer o estômago de quem não tem qualquer compromisso com o Vitória. Alexi apequenou e mediocrizou o clube e o entregará muito menor que o encontrou. O próximo presidente, que, certamente, não será ninguém do seu grupo, terá uma grande responsabilidade”, alfineta trecho do artigo principal do informativo, que é assinado pelo ex-presidente Paulo Carneiro e pelo ex-diretor Administrativo, Walter Seijo.

O informativo mostra ainda a falta de investimento no Barradão nos últimos sete anos e diz que para a dívida de R$ 26 milhões deixada a atual diretoria herdou um patrimônio de R$ 40 milhões, formado por jogadores como Hulk, David Luiz, Anderson Martins, Victor Ramos, Elkeson, Willians Santana, Marquinhos, Leandro Domingues, Marcelo Moreno, dentre outros.

“Alexi foi o único presidente na história do Vitória que encontrou o Clube em condições de operar em alto nível. Estádio com capacidade mínima de 35 mil espectadores, com infraestrutura interna e externa, centro de treinamento com três campos, concentração com piscina aquecida, área de 106.000,00 m², doada pela PMS, plenamente recuperada, com a extinção do aterro sanitário, totalmente terraplenada, onde foram investidos e pagos R$ 2 milhões. Foram 12 campeonatos baianos, 3 campeonatos do Nordeste, duas finais de campeonatos brasileiros, séries A e B, dentre outras conquistas importantes”.

Leia Também:

Notícias Relacionadas