Manifestação contra demissões na TAM provoca cancelamento de voos

Marli Moreira
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Pelo menos quatro voos da companhia aérea TAM foram cancelados até as 10h de hoje (8) no Aeroporto de Congonhas, como reflexo da manifestação que começou às 4h30 e terminou às 8h30. Segundo nota divulgada pela empresa, a média de espera é 37 minutos para voos da malha doméstica e 31 minutos para voos internacionais.

“Em virtude de manifestações nesta manhã no Aeroporto de Congonhas (SP), diversos voos foram cancelados ou partiram com atraso, o que causará impacto na malha aérea da companhia”, alertou a empresa no comunicado. Ela também lamentou os transtornos causados aos passageiros. A empresa informou que os passageiros afetados estão isentos de taxas de remarcação ou de reembolso de passagens.

De acordo com a TAM, os aeronautas aprovaram, em assembleia ontem (7), o Programa de Reestruturação de Adesão Voluntária que resultou em acordo entre a companhia e o Sindicato Nacional dos Aeronautas sobre o ajuste do quadro de tripulantes da empresa. A TAM salientou que esse corte ficará restrito à tripulação (comandantes, copilotos e comissários), totalizando 811 funcionários. O prazo para adesão ao programa começa hoje e vai até dia 16.

A empresa ofereceu programa de licença não remunerada por 18 meses, que poderá ser prorrogada por mais 12 meses. Nos seis primeiros meses, o funcionário licenciado e seus parentes diretos terão plano de saúde e, durante todo o período da licença terão benefícios de bilhetes aéreos iguais aos dos funcionários ativos.

Para os tripulantes de aeronaves Airbus 320 (A319/A320/A321) será oferecido Programa de Demissão Voluntária que inclui indenização adicional, seis meses de plano de saúde e três passagens aéreas para o funcionário e parentes diretos. Em nota, a TAM justifica que a medida de reestruturação tem o objetivo de garantir a sustentabilidade da empresa.

Notícias Relacionadas