Caso Snowden leva Obama a cancelar reunião com Putin

RTVE  e Agência Lusa

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cancelou a reunião que teria com seu colega russo, Vladimir Putin, durante a Cúpula do G-20 em setembro, devido à tensão entre os dois países provocada pelo asilo concedido pela Rússia ao ex-consultor de informática Edward Snowden. Obama estará na cúpula do G-20, em São Petersburgo, mas não se reunirá com Putin, conforme estava previsto antes que Moscou concedesse asilo a Snowden.

A Casa Branca explicou a decisão como falta de “progressos” nas relações entre Washington e Moscou. “Após uma avaliação profunda, concluímos que as relações bilaterais com a Rússia não registraram progressos suficientes para que uma reunião tenha lugar no início de setembro”, disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

“Atribuímos uma grande importância aos progressos alcançados com a Rússia durante o primeiro mandato do presidente [Obama] (2009-2013), incluindo o novo Tratado Start [desarmamento nuclear] e a cooperação no Afeganistão, no Irã e na Coreia do Norte”, explicou Jay Carney.

“No entanto, devido à falta de progressos em assuntos como a defesa antimíssil e o controle de armas, as relações comerciais, as questões de segurança global e de direitos civis e humanos nos últimos 12 meses, informamos ao governo russo que pensamos que seria mais construtivo adiar a reunião até que tenhamos resultados na nossa agenda comum”, disse o porta-voz da Casa Branca.

Segundo ele, “a decisão decepcionante da Rússia ao conceder asilo temporário a Edward Snowden também foi um elemento levado em consideração para avaliar o estado das nossas relações”.

Ontem, o presidente norte-americano, durante entrevista ao programa The Tonight Show, da rede NBC, disse estar decepcionado com a atuação da Rússia no caso Snowden. “Há momentos em que eles [os russos] voltam a cair no pensamento e na mentalidade da Guerra Fria”, afirmou Obama.

Snowden trabalhava em uma empresa prestadora de serviços à Agência Nacional de Segurança (NSA) e é acusado de espionagem pelo governo dos Estados Unidos. Ele estava desde o dia 23 de junho no aeroporto de Moscou. Chegou procedente de Hong Kong, para onde tinha viajado depois de abandonar o emprego no Havaí. No dia 16 de julho, o ex-consultor pediu asilo temporário à Rússia. O pedido foi aceito e Snowden saiu do aeroporto no último dia 1º, podendo permanecer no país pelo prazo de um ano.

Notícias Relacionadas