Ministro demite adjunta que contrariou o terrorista Cesare Battisti

CLÁUDIO HUMBERTO

Izaura Maria Soares Miranda, diretora-adjunta do Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça, foi demitida na segunda (29) pelo ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) após fazer parecer contrário à permanência do terrorista Cesare Battisti no Brasil. O caso chegou ao Planalto que, por medo da reação pública, teria exigido que a exoneração – já publicada no Diário Oficial da União – fosse desfeita.

Vapt vupt – Segundo apurou esta Coluna, Izaura foi readmitida quatro dias após sua exoneração. O Ministério da Justiça não quis se pronunciar.

Contraditório – Procurada, a diretora nega que o departamento seja responsável por validar a estadia de Battisti no Brasil e diz que a história “não existe”.

Vale dois meses – Já Conselho de Imigração garante que autorização dada a Battisti vale dois meses e precisa, sim, ser ratificada pelo departamento de Izaura.

Prazo apertado – A autorização para o terrorista ficar no Brasil vence no próximo dia 22, prazo que o Ministério da Justiça tem para deliberar sobre o assunto. (Coluna de Cláudio Humberto)

Leia também:

Notícias Relacionadas