Governo italiano procura conter efeito da condenação de Berlusconi

Da Telam e da Lusa

Buenos Aires – O primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, disse hoje (2), um dia após a confirmação da sentença de quatro anos de prisão para o ex-premiê Silvio Berlusconi, que o país precisa de estabilidade e deve evitar disputas partidárias. Ontem (1º), o Tribunal Supremo da Itália confirmou a condenação, em primeira e segunda instâncias, de Berlusconi a quatro anos de prisão.

Hoje deputados e senadores do PDL, partido de Berlusconi, ameaçaram renunciar, em protesto contra a condenação definitiva do ex-premiê à prisão. Os parlamentares disseram que se demitirão se o presidente italiano, Giorgio Napolitano, não conceder indulto a Berulusconi. Antes disso, em reunião com correligionários, o ex-primeiro-ministro defendeu a reforma urgente da Justiça ou a convocação de eleições antecipadas.

Berlusconi, de 76 anos, foi três vezes primeiro-ministro e exerce atualmente mandato de senador. Ele foi condenado por fraude fiscal relacionada à compra de direitos de transmissão de filmes americanos pelo Mediaset, grupo de sua propriedade.

Por causa da idade e de uma lei de indulto, a pena do ex-primeiro-ministro será reduzida a um ano e poderá ser cumprida em prisão domiciliar ou na forma de prestação de serviços sociais.

Notícias Relacionadas