Candidato a presidente do Vitória está entre os presos por fraude de ONG

Salvador – A Organização Não Governamental Pierre Bourdieu, suspeita de ter celebrado convênios irregulares com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Esporte e Lazer (Secult) e com a Universidade Estadual da Bahia (Uneb), foi alvo de uma operação conjunta, denominada Prometheus, deflagrada pela Secretaria da Segurança Pública e pelo Ministério Público Estadual nesta sexta-feira (2), em cumprimento a sete mandados de prisão e 19 de busca e apreensão. Os três convênios investigados envolvem recursos da ordem de R$ 100 milhões. Os presos são suspeitos de desviar R$ 44 milhões da Secretaria de Educação entre 2010 e 2012.

O presidente da ONG Pierre Bourdieu, Dênis de Carvalho, foi preso, além do contador da ONG e candidato à presidência do Esporte Clube Vitória, Petter Souza e Silva. Ous outros dos presos foram os diretores da ONG Rubens Antônio Almeida e Michel Souza Silva.

Com prisões temporárias decretadas, o presidente, três diretores e o contador da Pierre Bourdieu, além do dono de uma das empresas que forneciam notas fiscais, foram conduzidos à Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap), em Piatã. A Operação Prometheus resultou ainda na apreensão de computadores, de outros equipamentos eletrônicos e de documentos fiscais e de crédito, em diversos locais, dentre os quais a sede da ONG, situada próxima ao Largo dos Aflitos.

Cem policiais civis participaram da ação, coordenada pela delegada Susy Ane Brandão, da SSP, e pelo promotor Ariomar José Figueiredo da Silva, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP. A operação busca comprovar autoria e materialidade de fatos relacionados aos crimes de falsidade ideológica, fraude a licitações, desvio de dinheiro público e outros delitos praticados contra a Administração Pública.

Notícias Relacionadas