Bahia continua sob intervenção: STJ extingue cautelar pedida por Marcelo Guimarães

O clube segue sob comando do advogado Carlos Rátis
O clube segue sob comando do advogado Carlos Rátis

O ministro do Superior Tribunal de Justiça Marco Buzzi julgou extinta a medida cautelar com a qual o advogado de Marcelo Guimarães Filho, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, havia entrado na última terça-feira. O clube segue, assim, sob comando do advogado Carlos Rátis.

Marcelo Guimarães Filho vai continuar afastado da presidência do clube. Esta não foi a primeira medida judicial que o ex-presidente tentou. Na última sexta-feira, a justiça baiana havia negado mais um pedido de liminar feito por Marcelo Filho. De acordo com a decisão publicada no site do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, os advogados de MGF tinham dez dias para recorrer da decisão.

O ex-presidente havia entrado com o pedido na semana passada, endereçado ao segundo vice-presidente do Tribunal de Justiça do estado. A ação cautelar foi ajuizada no mesmo dia em que a desembargadora Lisbete Teixeira Cézar decidiu reunir o pedido dos ex-conselheiros do clube ao agravo contra a decisão do juiz Paulo Albiani.

O ex-presidente foi afastado do cargo, porque o ex-conselheiro Jorge Maia entrou na Justiça alegando ter sido expulso do grupo de maneira irregular. Assim, a votação que elegeu Marcelo Guimarães Filho foi considerada ilegal.

Notícias Relacionadas