Suprema Corte italiana confirma condenação de Berlusconi por fraude fiscal

Agência Lusa

Lisboa – A Suprema Corte da Itália confirmou hoje (1º) a condenação do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi à pena de quatro anos de prisão e decidiu que a decisão que o proíbe de exercer funções públicas durante cinco anos seja novamente julgada por um tribunal de apelação.

Berlusconi, de 76 anos, foi condenado por fraude tributária, em primeira instância por um tribunal de Milão, mas não deverá cumprir a pena na prisão por causa da idade. Três dos quatro anos da pena foram abrangidos por uma anistia, e o ex-primeiro-ministro não deve ir para a prisão por causa da idade.

Em artigo publicado domingo (28) pelo jornal Líbero, Berlusconi disse que estava disposto a ir para a prisão, se o Supremo confirmasse a pena da instância judicial de Milão. “Não vou ser um exilado, nem aceitar fazer serviços sociais, como um criminoso que tem de ser reeducado. Tenho quase 77 anos e teria direito a prisão domiciliar, mas, se for condenado, irei para a cadeia”, disse Berlusconi.

O ex-primeiro-ministro, proprietário da empresa financeira Fininvest, da organização midiática Mediaset e do clube de futebol Milan, foi condenado neste caso por crimes de fraude fiscal na compra de direitos de filmes.

Em junho, num julgamento separado, Berlusconi foi condenado a sete anos de prisão por incitação à prostituição de menores e por abuso de poder. Essa condenação está suspensa até que haja uma decisão sobre o recurso apresentado pelos advogados de Berlusconi.

Notícias Relacionadas