Carandiru: tenente-coronel diz que é ‘impossível’ ter matado 73

Julgamento Massacre do Carandiru (Foto: Estadão Conteúdo)
Julgamento Massacre do Carandiru (Foto: Estadão Conteúdo)
AGÊNCIA ANSA

São Paulo – Em depoimento concedido nesta madrugada, dia 1, durante o julgamento sobre o massacre do Carandiru, o tenente-coronel Carlos Alberto dos Santos disse que “é humanamente impossível matar 73 pessoas em 15 minutos de operação”.

“Não sei porque estamos sendo acusados disso”, disse Santos sobre ele e outros 24 policiais que são acusados de matarem 73 presos do pavilhão 9 na invasão policial.

Em 2 de outubro de 1992 a Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo, foi invadida pela polícia após uma rebelião e 111 presos foram mortos.

“Os presos disparavam contra a tropa e jogavam sacos com sangue e urina contaminada. Levei um tiro na perna, caí e saí de lá com ajuda de outros policiais”, afirmou ele.

O julgamento de policiais envolvidos na invasão do Carandiru está na segunda fase. A primeira aconteceu em abril deste ano, na qual 23 policiais militares (PMs) foram condenados. (Ansa Brasil)

Notícias Relacionadas