Fundador do Wikileaks critica sentença contra Bradley Manning

AGÊNCIA ANSA

Londres – O fundador do site Wikileaks, Julian Assange, declarou hoje, dia 31, que a condenação do soldado norte-americano Bradley Manning por espionagem é um “perigoso precedente”, porque compara a “difusão de informações por espionagem”. Em um vídeo gravado na embaixada do Equador em Londres, onde permanece bloqueado há mais de um ano, Assange declarou que a única vítima das revelações de Manning é o “orgulho ferido” do governo dos Estados Unidos.

Segundo o hacker, as revelações de Manning “fizeram conhecer crimes de guerra, começaram revoluções e induziram mudanças em sentido democrático” em todo o mundo. O jovem militar é “a própria essência do “whistleblower'”, o revelador de delitos. “Esse foi em absoluto o primeiro processo por espionagem contra um homem que divulga informações dos Estados Unidos”, afirmou Assange, que considera o julgamento “míope e não tolerável e por isso deve ser anulado”.

O fundador de Wikileaks lembrou como no programa presidencial do então candidato Barack Obama em 2008 era louvado o papel dos “whistleblower” como “juizes das instituições”. Entretanto, continua Assange, o mandatário dos Estados Unidos está agora levando adiante um numero de processos contra pessoas que divulgaram informações maior de que todos seus predecessores juntos.

“Os ataques contra Manning não são um final de força, mas de fraqueza” e esse “não é um processo justo, nunca foi um processo justo”, concluiu Assange. (Ansa Brasil)

Notícias Relacionadas