Maquinista do trem que descarrilou conversava ao celular no momento do acidente

Agência Lusa

Madri (Espanha) – Francisco José Garzón Amo, de 52 anos, o maquinista do trem que descarrilou na semana passada, falava ao telefone celular no momento do acidente. A conclusão é do Tribunal Superior de Justiça da Galícia, na Espanha. O trem descarrilou na região de Santiago de Compostela, uma das principais áreas de turismo do país, e matou 79 pessoas.

De acordo com o tribunal, o maquinista conversava, por telefone, com funcionários da empresa responsável pelo trem. Após uma análise preliminar das caixas-pretas do trem, a Justiça informou que o trem estava a 153 quilômetros por hora (km/h) no momento do descarrilamento. Porém, antes chegou a atingir 192 km/h.

No acidente, morreram pessoas de várias nacionalidades, inclusive dois brasileiros, sendo que o rapaz, de 25 anos, também tinha nacionalidade espanhola. A cidade de Santiago de Compostela é referência de peregrinação para católicos do mundo inteiro devido a um túmulo que a crença diz pertencer a Tiago Maior, um dos discípulos de Jesus Cristo.

Notícias Relacionadas