Diretor do Dnit rebate Otto Alencar e critica projeto de má qualidade da Via Expressa

Jorge Freixe disse que Otto Alencar nunca se manifestou sobre novos convênios com o Dnit e classificou de ''má qualidade" o projeto inicia da Via Expressa Salvador.
Jorge Freixe disse que Otto Alencar nunca se manifestou sobre novos convênios com o Dnit e classificou de ”má qualidade” o projeto inicial da Via Expressa Salvador (Foto: Agência Brasil).

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Salvador – O diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Jorge Fraxe, considerou hoje (30) “estranhas” as afirmações feitas pelo vice-governador e secretário de Infraestrutura, que culpou a burocracia do órgão federal como responsável pelo baixíssimo índice de repasse de verbas para a Bahia.

Otto disse que o caminho para desemperrar os processos são convênios que o Dnit deveria fazer com o Departamento de Estradas e Rodagens da Bahia (Derba) para executar as obras. “É uma vergonha. Vai chegar em 2014 e o carro do governo federal não vai sair da garagem por isso”.

Jorge Fraxe garantiu, em nota de sua assessoria de imprensa, que sempre esteve e está pronto a firmar convênios e termos de cooperação que promovam a manutenção e o desenvolvimento da infraestrutura de transporte no estado da Bahia.

“Entretanto, o vice-governador Otto Alencar nunca se manifestou em firmar novas parcerias com o Dnit”, garantiu Fraxe.

O diretor do Dnit sustentou ainda que os repasses de recursos ao estado estão e continuarão sendo feitos normalmente. ”Como demonstração inequívoca da disposição em cooperar, por parte do Dnit, a Via Expressa de Salvador é uma realidade, mesmo tendo sido iniciada com projeto básico de má qualidade, corrigido e aperfeiçoado pelo Dnit, durante a execução do empreendimento, será concluída em setembro desse ano”, alfinetou.

Em sua nota, Jorge Fraxe explica que quando todas as licitações previstas para a Bahia estiverem concluídas, até o final de 2014, a carteira de projetos para o estado saltará de cerca de R$ 600 milhões para R$ 4,4 bilhões. Antes desse prazo, muitas delas já estão em andamento, como a BR-235 – lotes em licitação; Travessia urbana de Luís Eduardo Magalhães – obra licitada e contratada; Travessia urbana de Juazeiro – obra licitada e contratada; BR-242 – obras de manutenção e construção em andamento; BR-116 – licitação de 4 lotes prevista para esse ano (trecho Norte: Feira de Santana – Euclides da Cunha); BR-101 (Norte) – licitação para duplicação prevista para esse ano; BR-135 – em fase de redefinição de traçado para correção de entraves ambientais contornando área de cavernas.

Leia também:

Notícias Relacionadas