Silvio Berlusconi diz que, se for condenado, irá para prisão

AGÊNCIA ANSA

Milão – O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi declarou hoje, dia 28, que se for condenado pela Suprema Corte italiana no processo conhecido como “Mediaset” – no qual já foi condenado em segundo grau por fraude fiscal a quatro anos de prisão e cinco anos de interdição dos cargos públicos – aceitará ir para a prisão.

“Não vou me exilar, como foi obrigado a fazer Bettino Craxi [ex-primeiro-ministro italiano nos anos 1980, condenado por corrupção e exilado na Tunísia]. Nem aceitarei ser entregue aos serviços sociais, como um criminal que deve ser educado novamente. Tenho quase 78 anos e teria direito a prisão domiciliar, mas se for condenado, se eles [os juizes da Suprema Corte] assumirem essa responsabilidade, eu irei na cadeia”, afirmou Berlusconi em uma entrevista com o jornal italiano “Libero”.

O ex-premier, entretanto, se disse “bastante otimista”, explicando que os juízes “não podem me condenar”. “Se não tiver um prejuízo, se não tiver pressões, a Suprema Corte não poderá que reconhecer minha inocência”, afirmou Berlusconi, que explicou como seus advogados “propuseram 50 objeções” a condenação de segundo grau.

Em relação as acusações de fraude fiscal, Berlusconi afirmou que “não assinava os balanços” nem “participava das decisões da empresa”, “não tendo nenhum papel direto na gestão de Mediaset”.

“Eu era primeiro-ministro, o que poderia saber dos contratos para os direitos televisivos?”, afirmou. “Eu não teria arriscado tudo isso por somente 3 milhões de euros (cerca de R$ 8,8 milhões) após ter pago cerca de 500 milhões de euros (cerca de R$ 1,4 bilhão) como impostos em ano só. E se eu tivesse sido tão bobo de querer sonegar os impostos, teria beneficiado da anistia tributária que o meu próprio governo tinha introduzido”, explicou o ex-primeiro-ministro.

Berlusconi contou que por um mês não conseguiu dormir, “pensando no que eles fizeram contra mim”. “Em poucos meses ocorreram oito sentenças contra mim”, afirmou o ex-premier, lembrando, entre os outros, os julgamentos sobre o caso Ruby e sobre a pensão alimentícia para sua ex-mulher, Veronica Lario. (Ansa Brasil)

Notícias Relacionadas