Papa Francisco pede aos jovens que saiam às ruas: “Não sejam covardes”.

 Centenas de milhares de peregrinos ocupam toda a faixa da praia em torno do palco da celebração. (Doto: Agência Brasil)
Centenas de milhares de peregrinos ocupam toda a faixa da praia em torno do palco da celebração. (Foto: Agência Brasil)
O papa Francisco voltou a fazer referências aos protestos em seu discurso de abertura da vigília em Copacabana, na zona sul do Rio, na noite deste sábado (27). Falando a uma multidão de cerca de 3 milhões de pessoas, o pontífice pediu aos jovens “que sejam protagonistas e saiam às ruas como fez Jesus”.

“Vocês são o futuro. Vocês são os protagonistas da mudança. Peço que sejam construtores do futuro. Não sejam covardes. Saiam para a vida”, afirmou. Pela manhã, o pontífice já havia citado os protestos violentos ao defender o diálogo como solução.

O discurso da noite deste sábado teve um grande trecho de improviso e foi carregado de simbolismos e expressões coloquiais, com uma associação entre religião e futebol. Fiéis foram chamados de “atletas de Cristo” e convocados a treinar. Jesus foi comparado à Copa do Mundo, como capaz de oferecer algo muito superior.

“[…] aqui no Brasil, como em outros países, o futebol é uma paixão nacional. Ora bem, o que faz um jogador quando é convocado para jogar em um time? Deve treinar, e muito! Também é assim na nossa vida de discípulos do Senhor”

O improviso e o uso de expressões coloquiais têm sido uma marca da visita do pontífice pelo Brasil, como parte do esforço para se aproximar dos fiéis em sua primeira viagem internacional desde que assumiu o papado.(Folha)

Notícias Relacionadas