Protesto contra Cabral e Alckmin tem vandalismo em SP

Manifestantes que pedem a saída dos governadores do Rio, Sérgio Cabral, e de São Paulo, Geraldo Alckmin, interditaram, na noite desta sexta-feira, várias avenidas de São Paulo, entre elas a Paulista, a 23 de Maio e a Brigadeiro Luis Antônio.

Ao longo do trajeto entre o Museu de Arte de São Paulo (Masp) e a Bela Vista, um grupo quebrou vidros de pelo menos oito agências bancárias, uma concessionária de veículos e pichou prédios, além de destruir bases da Polícia Militar (PM).

Na 23 de Maio, na altura do Centro Cultural São Paulo, alguns manifestantes depredaram e tentaram incendiar a van de uma emissora de tevê. Policiais militares utilizaram bombas de efeito moral para tentar conter os atos de vandalismo.

Cerca de 300 pessoas, segundo a PM, participaram do protesto, que tinha, entre outros, os grupos Anonymous e o Black Bloc. Alguns manifestantes deixaram o protesto, a princípio pacífico, no momento em que começaram os atos de vandalismo, praticados por manifestantes com o rosto coberto com lenços.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que a PM não interviu, no início do protesto, para evitar danos aos que manifestavam pacificamente. Ao final do protesto, PMs cercavam agências bancárias da região da Avenida Paulista e revistaram alguns transeuntes. Há informação de pessoas detidas, mas o número não foi confirmado pela PM.(O Globo)

Notícias Relacionadas